Tamanho do texto

Caminhadas, trekking, pesca, golfe, rafting e, claro, muitas atividades na neve estão entre as atrações. Faça seu roteiro

Bariloche, urbanizada e moderna, encontra-se em uma região de natureza exuberante. Seu nome oficial é San Carlos de Bariloche, e fica a Leste das planícies da Estepe Patagônica, a Oeste dos picos nevados dos Andes e cercada pelo Parque Nacional de Nahuel Huapi, o mais antigo da Argentina, com cerca de 717 mil hectares de lagos de águas geladas, bosques, rios, cascatas e montanhas eternamente nevadas.

Caminhadas, trekking, pesca, golfe, rafting, travessias de caiaque e voos de parapente são algumas das atividades que os visitantes podem encontrar por lá. Sem contar passeios de bicicleta e cavalgadas. Mas a atração por excelência de Bariloche é, claro, o esqui na neve – entre as estações, sempre lotadas no inverno, a de Cerro Catedral, a 19 quilômetros do centro, é a mais moderna da América do Sul, com 120 quilômetros de área utilizável, 53 pistas, 38 meios de elevação, abrigos na montanha, lareiras, culinária variada, bosques e áreas para diversas modalidades do esporte.

Vivendo muitas aventuras e correndo alguns riscos, moradores e visitantes da região são protegidos pela Vírgen de las Nieves, padroeira dos esportistas das montanhas. Sua imagem, em uma gruta, no alto de uma escadaria de pedra, é visitada a cada dia 5 de agosto – o seu dia – por centenas de fiéis em peregrinação.

Arelauquen Lodge by P Hotels, em dos mais charmosos de Bariloche
Reprodução
Arelauquen Lodge by P Hotels, em dos mais charmosos de Bariloche

Informações úteis:
- Fuso horário: o mesmo de Brasília
- Língua: espanhol
- Moeda: peso argentino (AR$)
- Visto e documentos necessários: brasileiros não precisam de visto, basta apresentar passaporte válido ou RG recente
- DDI: (54) 2944
- Gorjetas: em restaurantes, 10% (não aparece na conta) 
- Embaixada do Brasil : Cerrito 1350, tel. (54 11) 4515.2400, Buenos Aires
- Vacinas: nenhuma vacina é obrigatória

Como chegar
O aeroporto Internacional Teniente Luis Candelaria fica a 14 quilômetros do centro de Bariloche. O ônibus número 72 da empresa Tres de Mayo faz o percurso em meia hora, por 15 pesos. Os horários de saída dependem do dia da semana, e podem ser consultados no site  oficial . 

De táxi, o trajeto sai por cerca de 100 pesos.

Aeropuerto Internacional Teniente Luis Candelaria
Tel: (54 2944) 440.5016
Opções de traslado: ônibus (Tres de Mayo); táxi.


Como se locomover
Bariloche tem tudo para ser percorrida a pé. Mas para ir a Cerro Catedral, principal centro de esqui, é preciso contratar um serviço de traslado de alguma das agências da cidade, como a Turisur , ou pegar um táxi (a bandeirada custa 4 pesos, mais 0,35 pesos a cada 100 metros). Verifique se o seu hotel inclui o traslado na diária, como fazem muitas da hospedagens por ali.

A Tres de Mayo – na Calle Moreno 476, tel: (54 2944) 42.6225 ­– opera um serviço regular de ônibus para a estação, em um percurso de aproximadamente 30 minutos, com paradas na Calle Moreno, entre Beschtedt e Palacios, e no Centro Cívico, entre outros pontos. Na volta, a única parada em que é permitido embarcar é Cerro Catedral. A empresa tem também linhas que ligam o centro aos outros cerros, assim como ao Parque Nacional.

Alugar um carro não é muito recomendado, uma vez que dirigir na neve requer o uso de correntes nas rodas e brasileiros não estão acostumados a isso.

Fim de agosto é uma boa época para aproveitar Bariloche sem tantos turistas
Getty
Fim de agosto é uma boa época para aproveitar Bariloche sem tantos turistas

Melhor época para ir
Julho é altíssima temporada, já a época de maior volume de neve coincide com as férias escolares dos brasileiros – a maioria dos turistas na cidade – e também dos argentinos. Resultado: é o mês mais caro do ano. Em agosto, ainda com bastante neve, Bariloche costuma receber mais casais e esquiadores experientes, e os preços começam a diminuir, especialmente na segunda quinzena.

A neve pode durar até setembro, às vezes chega a outubro, mas, se por um lado as pistas ficam mais lisas, porque o trânsito menor de esquiadores facilita a manutenção, por outro a neve de primavera, por ser mais derretida que a do inverno, é um desafio à aderência dos esquis na pista.

Mas Bariloche tem diversos atrativos além da neve, o que a torna um destino interessante ao longo de todo o ano. Veja o que fazer em Bariloche.

Leia mais sobre Bariloche:

Onde ficar em Bariloche 

Onde comer em Bariloche

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter