Conheça 15 lugares na América do Sul para fugir do agito e descansar neste fim de ano

Praias lotadas, aglomeração para ver fogos de artifício e fila para almoçar naquele disputado restaurante à beira-mar podem não ser o cenário mais desejado pelos turistas que planejam uma viagem para o final de ano. Se você é do tipo que prefere ler um livro silenciosamente em um lugar isolado, aproveitar a piscina vazia ou fazer uma trilha para chegar a uma praia deserta , veja algumas opções de destinos sossegados pela América do Sul, para curtir o Réveillon sem estresse.

Barra de São Miguel - AL

No Sul de Alagoas, a cerca de 30 quilômetros da capital Maceió, Barra de São Miguel tem praias de areia fina, águas cristalinas, piscinas naturais e barreiras de corais. O lugar é ideal para quem busca tranquilidade total – o sossego só é quebrado mesmo no Carnaval, quando a cidade realiza uma grande festa. Entre as praias locais, a Barra de São Miguel é a mais urbanizada. Já a Praia do Meio é excelente para mergulho. A das Conchas é boa para banhistas. Quem gosta de natureza também não deve deixar de conhecer os manguezais às margens do rio Niquim.

Leia mais: Top 10 - Praias do Nordeste


Bonito – MS

Bonito é um dos lugares mais indicados para os amantes da natureza e dos esportes radicais. O local reúne águas cristalinas, cachoeiras, grutas, cavernas e piscinas naturais com belezas paradisíacas. Além de trilhas no meio de matas e descidas nas corredeiras dos rios, os mais aventureiros podem também encarar um rapel pelo Abismo Anhumas. Outro ponto imperdível é a gruta do Lago Azul, um dos cartões-postais mais famosos deste paraíso sul mato-grossense.

Leia mais: 15 razões para conhecer Bonito


Brotas – SP

Rafting, canoagem, tirolesa, arvorismo, boia-cross e caiaque são os grandes atrativos de Brotas, um dos principais destinos de aventura em São Paulo. Distante 240 quilômetros da capital paulista, o lugar é cercado de natureza, ideal para uma cavalgada ou para percorrer trilhas a pé em contato direto com a fauna e flora da região. No local, também não deixe de conhecer as belas cachoeiras, como a Cassarova, a do Martello e a Astor.

Cambará do Sul – RS

Cânion Itambezinho, um dos mais belos em Cambará do Sul
Getty Images
Cânion Itambezinho, um dos mais belos em Cambará do Sul

As belas paisagens dos cânions são a atração principal para os turistas em Cambará do Sul, cidadezinha localizada a 250 quilômetros ao Norte de Porto Alegre. Com 5,8 quilômetros de extensão, o cânion Itaimbezinho, no Parque Nacional Aparados da Serra, já foi cenário de novelas e minisséries de TV. Já o cânion Fortaleza é o maior da cidade, com paredões de 7,5 quilômetros de extensão e, em alguns pontos, até 900 metros de altura. A trilha para chegar ao topo tem 3 quilômetros (ida e volta), em uma caminhada que dura aproximadamente 1h30.

Chapada dos Veadeiros – GO

Este paraíso no cerrado goiano é ideal para quem procura fugir do agito, mas quer preencher os últimos dias do ano com uma certa dose de aventura. Trilhas e caminhadas – com diferentes níveis de dificuldade – levam a cânions, piscinas naturais e cachoeiras deslumbrantes. Declarada Patrimônio Mundial Natural pela Unesco, a Chapada chama a atenção pelo cenário de vegetação nativa, onde um dos grandes prazeres é não fazer nada, apenas observar as belas paisagens da região.


Leia mais: Conheça as principais atrações da Chapada dos Veadeiros


Cunha – SP

A 1.100 metros de altitude, a estância climática de Cunha, no interior de São Paulo, atrai pela tranquilidade e pelas belas cachoeiras. A do Pimenta, a do Desterro e a do Mato Dentro são algumas das quedas d´água que encantam os turistas. Quem curte trilhas, vai adorar caminhar pelo Pico da Pedra da Macela, um dos pontos mais altos da cidade, a 1.840 metros. Já o Parque Estadual Serra do Mar preserva importantes áreas remanescentes da Mata Atlântica, enquanto o Parque Nacional da Bocaina oferece cachoeiras e vistas panorâmicas da região. Também não deixe de apreciar o artesanato local, especialmente as cerâmicas de alta temperatura produzidas na região.

Ilha de Boipeba – BA

Ilha de Boipeba tem 20 quilômetros de praias paradisíacas
Getty Images
Ilha de Boipeba tem 20 quilômetros de praias paradisíacas

Inserida no Arquipélago de Tinharé, no município de Cairu, no Sul da Bahia, a Ilha de Boipeba é cercada pela Mata Atlântica e tem 20 quilômetros de praias paradisíacas. Composto pelos povoados de Velha Boipeba, Moreré e São Sebastião, o destino tem ainda restinga, dunas e manguezais. Para chegar a este paraíso, a partir de Salvador saem pequenos aviões para a ilha. Em frente ao Mercado Modelo, embarcações partem diariamente para Morro de São Paulo. De lá, ainda é preciso pegar uma lancha que leva a Boipeba.


Itamonte – MG

Com um trecho preservado de Mata Atlântica, Itamonte tem rios e cachoeiras encantadoras. Localizada a 220 quilômetros do Rio de Janeiro e a 250 quilômetros de São Paulo, a cidade mineira também agrada tanto os ávidos por aventura, com atividades como trekking, montanhismo e rapel, como aqueles que desejam apenas descansar em meio à natureza. No destino, além das delícias da culinária mineira, não deixe de apreciar a truta e o pinhão, sempre presentes nos cardápios dos restaurantes locais.


Jalapão - TO

Com dunas de encher os olhos, belas praias de rio e cachoeiras encantadoras, a região de Jalapão é boa pedida para os aventureiros. O melhor jeito de desvendar o local é acampando à beira do Rio Novo – geralmente, de modo rústico, sem luz elétrica. Ali, canoagem, rafting e boia-cross são algumas das atividades para os turistas. Formado por oito cidades, o Jalapão tem como porta de entrada o município de Ponte Alta, com pouco mais de 7 mil habitantes, onde está a maior parte das hospedagens.


Leia mais: Jalapão, uma ecoaventura no cerrado


Paraty – RJ

Construções históricas se destacam na paisagem de Paraty
Getty Images
Construções históricas se destacam na paisagem de Paraty

Embora tenha uma programação especial para o Réveillon, Paraty ainda é uma opção tranquila para passar o fim de ano. Com ilhas, praias e cachoeiras, a cidade localizada na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo reserva também passeios de escuna, galerias de arte e construções históricas. Entre uma praia e outra, não deixe de visitar o centro histórico, com suas ruas de pedras, casarões coloniais e deliciosos cafés.

Leia mais: Paraty tem história e natureza


Petrópolis – RJ

A cidade de Petrópolis, a 70 quilômetros da capital fluminense , é ótima opção para quem gosta de viagens culturais. No Centro Histórico, os turistas podem visitar o Palácio Amarelo, construído em 1894, e a Catedral São Pedro de Alcântara, onde estão os restos mortais de Dom Pedro II, Dona Teresa Cristina, Conde d’Eu e Princesa Isabel. Entre os museus, o Imperial, em estilo neoclássico, é um dos mais bonitos e abriga a coroa e o manto da realeza, além de móveis, joias, porcelanas e peças de arte. Também merecem visita o Palácio de Cristal, de 1884; o Palácio Quitandinha, antigo hotel de luxo, e o Palácio Rio Negro, que servia de residência oficial de veraneio dos antigos presidentes.


Leia também: Um passeio na história de Petrópolis


Santo André - BA

A apenas 25 quilômetros da agitada Porto Seguro, Santo André é uma antiga vila de pescadores localizada às margens do rio João de Tiba. Rústico, o povoado baiano tem 13 quilômetros de praias preservadas, piscinas naturais e mangues. O recife de Araripe, por exemplo, é ótimo para quem gosta de mergulhar. O pôr-do-sol na foz do rio João de Tiba também é passeio obrigatório. Com pouco mais de 750 mil habitantes, para chegar até lá é preciso pegar uma balsa em Porto Seguro até Santa Cruz Cabrália.


Leia também: Dê um pulinho ao lado


São Miguel do Gostoso - RN

Praia do Santo Cristo, em São Miguel do Gostoso, é ideal para kite e windsurf
Sabrina Duran
Praia do Santo Cristo, em São Miguel do Gostoso, é ideal para kite e windsurf

São Miguel do Gostoso é uma pacata vila de pescadores com praias tranquilas e ruas de terra, a 100 quilômetros de Natal (RN). O lugar é ideal para quem quer fugir do agito e provar dias de total descanso. Dá para fazer tudo a pé ou de bicicleta – um ótimo exercício para percorrer os pontos turísticos do local, como a igreja de São Miguel Arcanjo, construída no século 19. Pousadas simples e pequenos restaurantes de culinária local dão um toque especial ao destino.


Leia também: 10 razões para ir a São Miguel do Gostoso

Puyuhuapi - Patagônia Chilena

Numa Patagônia ainda pouco conhecida, a vegetação cresce livremente por bosques com árvores centenárias, geleiras se penduram em montanhas desafiando a lógica e corredores de água salgada se protegem da fúria do mar em fiordes onde reina o silêncio. Assim é a região de Aysén, uma das parcelas patagônicas menos desbravadas pelos turistas. Mas, nem por isso, menos surpreendentemente bela. É nela que está a cidade de Puyuhuapy, onde é possível caminhar por ruas desertas, ouvir o barulho do próprio coração sem que qualquer sinal de internet ou celular interrompa e ainda mergulhar em águas termais lado a lado com braços de mar gelado. Pescar, relaxar nas piscina naturais e surpreender-se com a dorça da natureza estão entre os principais passatempos. 


Leia também: No Chile, descubra as belezas de uma Patagônia quase desconhecida

Cabo Polônio - Uruguai

Escondido numa área protegida quase na divisa entre o Uruguai e o Brasil, Cabo Polônio , não tem água corrente, asfalto, telefone, internet ou luz elétrica (algumas poucas casas até contam com captação solar ou eólica, mas esqueça TV, banho quente ou secador de cabelo). Resumindo, é o lugar perfeito para se esconder do mundo e entrar em contato com a natureza e sua força. As poucas casas espalhadas pela areia que cobre praias desertas e pequenos aclives também reservam pousadas simples e hospitaleiras, onde o maior luxo é poder dormir olhando para um céu com mais estrelas do que se poderia imaginar que existisse. 


Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.