Boas maneiras e pequenas brincadeiras são essenciais para uma viagem tranquila para você e para os outros passageiros

Bebê no avião: viajar com crianças pequenas não precisa ser um tormento para pais e demais passageiros
Getty Images
Bebê no avião: viajar com crianças pequenas não precisa ser um tormento para pais e demais passageiros
Quem já voou ao lado de um bebê chorando ou com um pestinha chutando sua cadeira sabe que uma adorável criança pode se tornar facilmente um ser indesejado, principalmente quando confinado dentro de um espaço reduzido. Mesmo saindo de férias, cabe aos pais monitorar o comportamento dos filhos no avião, ônibus, hotel ou restaurante.

Segundo a consultora de etiqueta Ligia Marques, é possível educar os filhos de modo a não incomodarem os demais passageiros e não deixarem de ser crianças. “Sou mãe de quatro filhos e nunca tive problemas de crianças correndo de um lado para o outro ou subindo em cima do banco”, afirma.

“Levá-las a praticar boas maneiras é um trabalho do dia a dia. Não adianta querer que se comportem quando nunca foram estimuladas a isso.”

Quando a criança chorar, os pais devem buscar entender o motivo e tentar contornar o problema, como explica a consultora. Para distrair crianças entediadas com a viagem longa, uma dica é levar brinquedos e doces ou ainda optar por voos noturnos, para que possam dormir. “Se for pura manha, a culpa é dos pais que deixaram chegar a esse ponto, não impondo limites”, diz Ligia.

Mesma opinião tem a consultora de etiqueta e comissária de bordo por 25 anos, Sofia Rossi. “Já vi criança engatinhando sozinha pelo corredor do avião ou irmãos brigando sem os pais interferirem. Mas também não adianta chamar a atenção na hora. Lugar de educar criança é em casa”, explica Sofia.

Dado o recado, confira as dicas de boas maneiras das consultoras Sofia Rossi e Ligia Marques para uma viagem tranquila com seus filhos, para você e todos os outros viajantes.

1. Se for viajar de avião, converse com a criança antes de embarcar. Explique que ela entrará em um local com regras a serem seguidas. Deixe claro que, se fizerem barulho, correria e bagunça, irá incomodar os outros passageiros.

2. Para tranquilizar o seu filho durante a viagem, não se esqueça de levar o cobertor ou o bicho de pelúcia favorito dele.

3. Se a viagem for longa, procure um voo noturno para que eles possam dormir a maior parte do tempo.

4. Aparelhos eletrônicos com som, como iPods, videogames portáteis e laptops, devem ser usados com fones de ouvido para não incomodar os passageiros ao lado.

5. Procure reservar um assento próximo à janela para distrair as crianças. Só fique atento para que a criança não abra e feche a janela o tempo todo, incomodando os demais passageiros com a luz solar.

6. Se tiver filhos pequenos, leve um copo com tampa para bebidas no avião, evitando assim derramamento de líquidos.

7. O passageiro que se sentir incomodado com uma criança deve avisar o comissário de bordo. O profissional poderá chamar a atenção da mãe discretamente se for o caso ou ainda trocá-lo de lugar caso haja assentos vagos.

8. Criança não é bagagem, por isso nada de colocar os filhos no carrinho de malas no aeroporto.

9. Fique atento para a criança não chutar o assento da frente ou ficar brincando com a mesinha.

10. Acompanhe os filhos pequenos ao banheiro, para que elas não fiquem brincando lá dentro.

11. Além do casaco para o frio do ar-condicionado, leve uma roupinha extra para caso a criança se sujar a bordo.

Distraindo os pimpolhos

Como viagens longas são sinônimo de crianças irrequietas, é preciso distrair os pequenos. A franco-brasileira de 39 anos, Sut-Mie Guibert, autora do blog Viajando com Pimpolhos, tem experiência no assunto. Sua filha Clara, de quatro anos, viaja com ela e o marido desde os três meses de idade, e Nina, de apenas três meses, já pegou um voo para a Bolívia, onde a família reside atualmente.

Distração: livros para colorir são um bom recurso para manter as crianças ocupadas em voos longos
Getty Images
Distração: livros para colorir são um bom recurso para manter as crianças ocupadas em voos longos
Com Clara, já viajou para várias praias do Brasil, além de Paris, Portugal, Marrocos, Grécia. Seu segredo para crianças bem-humoradas no avião é tornar a experiência divertida.

“Se o voo tem pouco tempo, até quatro horas, nós brincamos ou vemos DVD. Se tiver mais horas, prefiro voo noturno, no qual a criança brinca um pouco e depois dorme."

Canetas e lápis de cor e o brinquedo preferido da criança são essenciais para levar na viagem. Vale comprar também algum livro para colorir ou brinquedinho novo para empolgar os pequenos. Lanchinhos como biscoito e chocolate também são bem-vindos. A blogueira também não abre mão do aparelho de DVD portátil tanto para o carro, como para o avião e restaurante.

“Colocar um filme ou desenho animado é paz assegurada por pelo menos meia hora, dependendo da idade.”

Na hora de escolher o destino, o importante é pensar em um lugar que agrade ao casal e aos filhos. “Pensamos em um lugar que gostamos de ir e pesquiso o que existe para crianças no local. Sempre procuro hotéis com estrutura para crianças, restaurantes kids friendly, programas adaptados, museus interessantes. O fato de ter um parquinho ou uma piscina no hotel sempre ajuda.”

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.