Caro, mas necessário. Em alguns países, aliás, o seguro-viagem é uma exigência para conseguir o visto de entrada

Turista de primeira viagem deve ficar muito atento à exigência do mesmo
Getty Images
Turista de primeira viagem deve ficar muito atento à exigência do mesmo
Este é o seguro-viagem, que garante assistência médica para o viajante no exterior e deve ser feito antes do embarque, independente do tipo de viagem internacional (turismo, negócios ou estudos).

O seguro-viagem oferece assistência médica em casos de doença ou acidentes, além de despesas com remédios e serviços odontológicos. Fora da área da saúde, o seguro garante indenização em caso de perda de bagagem (independente da que o passageiro recebe da companhia aérea responsável pelo extravio), ajuda em eventuais problemas jurídicos e traslados do corpo, em caso de morte.

O custo médio, para viagens de 15 dias, por exemplo, é de US$ 88, em viagens para a Europa, e US$ 57, se o destino for os Estados Unidos. O preço varia de seguradora para seguradora, e também aumenta, de acordo com a cobertura.

SIGA O IG TURISMO NO TWITTER

Algumas empresas de turismo trabalham com seguradoras específicas. Ao contratar o pacote, o passageiro já pode pagar o seguro-viagem. Mas é bom que ele se certifique que o atendimento também é feito em português. No contrato podem ser encontrados os números de telefone que atendem o segurado no exterior.

Caso seja necessário um atendimento de urgência em instituições não credenciadas, o turista pode pedir reembolso, desde que esteja dentro do limite de cobertura contratado. Se o pacote turístico não engloba o seguro-viagem, é possível contratar um em corretoras.

Viajantes que tenham apólice de seguro de vida podem pesquisar se a sua seguradora já cobre eventuais problemas durante a viagem. Em geral, empresas de cartão de crédito oferecem esse tipo de seguro para seus clientes que possuem cartão internacional.

Assistência não é seguro

Muita gente confunde, mas a assistência-viagem é diferente do seguro. O seguro oferece cobertura por evento, ou seja, o viajante tem direito ao valor integral do plano em cada situação. A assistência, por sua vez, tem um limite que é descontado por cada circunstância.

Em alguns casos de seguro não existe limite de idade. Nas assistências, clientes com mais de 60 anos podem ser obrigados a pagar um acréscimo de 50% no valor do serviço.

Outra vantagem do seguro é que ele cobre acidentes relacionados a todos os esportes de risco, enquanto a assistência só cobre acidentes ocorridos na prática de esqui.


Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.