iG - Internet Group

iBest

brTurbo

Roteiro pelas casas de escritores famosos

Conheça os locais onde moraram grandes nomes da literatura mundial e faça uma viagem literária pelo universo de seu escritor favorito

Camila Sayuri, iG São Paulo

Olhando a fachada, são casas comuns que passariam despercebidas pelos turistas, não fosse um detalhe: ali, moraram alguns dos nomes mais famosos da literatura mundial. Transformados em museus, esses imóveis preservam o universo da vida e da obra dos escritores, como mobiliário, objetos pessoas, rascunhos, as primeiras edições de seus livros. 

Os visitantes tem a oportunidade de ver objetos descritos nos suspenses de Agatha Christie, a casa construída por Pablo Neruda para esconder o seu amor, o local onde Shakespeare nasceu, entre outros lugares interessantes até para leitores menos assíduos. Planeje seu roteiro e viaje além dos livros!

 

INGLATERRA
Em Devon

Agatha Christie

Divulgação National Trust

120 anos, no mês de setembro de 1890, nascia no condado de Devon, Inglaterra, a “Rainha do Crime”, Agatha Christie.  Autora de personagens emblemáticos, como o detetive Hercole Poirot e a solteirona Miss Marple, a escritora possui fãs em todo mundo. Para os leitores que quiserem conhecer mais sobre a vida e a obra da escritora, um passeio imperdível é visitar a casa de veraneio da família Christie, descrita pela autora como o “lugar mais adorável do mundo”. Com atmosfera dos anos 1950, a residência foi aberta ao público em fevereiro de 2009. Lá, é possível ver as coleções de Agatha Christie e objetos que a inspiraram na criação de alguns textos. Vale a pena também passear pelo amplo jardim romântico e arborizado, com parreiras e plantas raras.

Casa da Agatha Christie: Greenway Road, Galmpton, Devon. Funciona de março a outubro, de quarta a domingo, das 10h30 às 17h. Preço: £9.

 

PORTUGAL
Em Lisboa
 
Fernando Pessoa 
 
Autor de poemas e frases conhecidos desde o ensino fundamental, um passeio pela Casa Fernando Pessoa permite um mergulho no universo da vida e obra do poeta português. Este centro cultural, localizado no bairro lisboeta Campo de Ourique, foi montado na residência onde o escritor passou os últimos 15 anos de sua vida. São três pisos principais. No primeiro, está o quarto de Fernando Pessoa, com móveis que lhe pertenceram, incluindo a cômoda onde teria escrito o poema “O Guardador de Rebanhos”, de seu heterônimo Alberto Caeiro. Quem visita o local, encontra ainda a biblioteca particular do escritor, com 1200 títulos, auditório, jardim, sala de exposição. Periodicamente, o espaço abriga também eventos, como exposições, sessões de leituras, espetáculos musicais e de teatro.
 
Casa Fernando Pessoa: Rua Coelho da Rocha, 16. De segunda a sábado, das 10h ás 18h. Entrada gratuita.

 

CHILE
Em Santiago, Valparaíso e Isla Negra

Pablo Neruda
 

Divulgação/Turismo Chile

Interior da casa La Chascona, em Santiago

Motivo de orgulho dos chilenos, o poeta ganhador do Prêmio Nobel possui três casas no Chile: La Chascona (em Santiago), La Sebastiana (em Valparaíso) e a casa de Isla Negra. Mantidas pela Fundação Pablo Neruda, as residências foram preservadas e transformadas em museu, recebendo centenas de turistas diariamente. Cada uma delas tem uma história e guarda coleções particulares do escritor, como conchas, garrafas e bonecos. Quem as visita, passeia pelos móveis dos diferentes cômodos da casas.

A casa La Chascona, que significa a "desgrenhada", tem uma história de amor nos bastidores: foi construída para o poeta estar com sua terceira mulher, Matilde. La Sebastiana tem uma das mais belas vistas para o mar, paixão de Neruda, na cidade portuária de Valparaíso. Mas foi na casa da cidadezinha de Isla Negra que o filme "O carteiro e o poeta" foi baseado.
 
La Chascona: Fernando Márquez de La Plata 0192, Bellavista, Santiago. Terça a domingo, das 10h às 18h. Preço: 2.500 pesos (R$ 8,80) para visitas guiadas em espanhol e 3.500 pesos (R$ 12,30)para visitas guiadas em inglês, francês e alemão.
 
La Sebastiana: Ferrari, 692, Valparaíso (117 km de Santiago). Terça a domingo, das 10h às 18h. Preço: 3 mil pesos (R$ 10,50).
 
La Isla Negra: Camino vecinal, Isla Negra. Terça a domingo, das 10h às 18h. Preço: 3 mil pesos (R$ 10,50).

 

INGLATERRA
Em Stratford-upon-Avon

William Shakespeare
 

Flickr/Ell Brown

A casa de infância de Shakespeare data do final do século 15 ou começo do século 16

O vilarejo de Stratford-upon-Avon, em Warwickshire, a três horas de Londres, vive de seu mais ilustre morador, o dramaturgo William Shakespeare. Em cada canto desta pequena localidade, há sempre uma referência aos personagens e à obra do escritor. Apesar de ter morado muitos anos em Londres, foi na cidadela que ele nasceu, passou a infância, casou, se aposentou e morreu. Bom para a economia do lugar, que recebe quase um milhão de turistas anualmente. Quem visita a cidade, pode conhecer cinco casas relacionadas ao autor. A principal delas é a residência onde Shakespeare nasceu, com móveis e objetos inspirados nas casas dos artesãos do século 16. As outras casas são: a fazenda da família de sua esposa, Anne Hathaway; a propriedade da mãe do dramaturgo, Mary Arden; a Hall’s Croft, casa do médico John Hall, marido da filha mais velha Suzanna; e a New Place, onde o poeta morreu.
 
Tour casas do Shakespeare: O passeio pelos cinco imóveis relacionadas ao dramaturgo inglês custa 19 libras. As casas permanecem abertas para visitação todos os dias.

 

FRANÇA
Em Paris

Maison de Victor Hugo

Divulgação

O escritor Victor Hugo morava no segundo andar do palacete na Place des Voges

Para quem se emocionou com a leitura de “Os Miseráveis”, “O Corcunda de Notre Dame” e outros clássicos de Victor Hugo, conhecer a casa do escritor em Paris é um passeio imperdível. Entre 1832 e 1848, o escritor morou no segundo andar do Hotel de Rohan-Guéménée, na Place des Vosges, praça famosa de Paris. Na visita ao apartamento, o visitante pode ver móveis e peças de decoração de Victor Hugo, assim como objetos de uma de suas mais fiéis amantes, Juliette Drouet. Já no primeiro andar, há um espaço dedicado a exposições temporárias e a exibição de mais de 450 desenhos feitos pelo escritor francês, que ilustram cenas de suas obras. Tem também amostras de textos com sua letra, exemplares da primeira edição de seus livros e o seu tinteiro.
 
Maison de Victor Hugo: 6 Place des Vosges. Funciona de terça a domingo, das 10h às 18h. Entrada gratuita.

 


BRASIL
Em Goiás

Casa de Cora Coralina
 

Divulgação

Quarto de Cora Coralina mantém a aparência de como foi deixado pela escritora


Foi na Casa Velha da Ponte, às margens do Rio Vermelho, na cidade de Goiás, que Cora Coralina nasceu e passou a juventude. Depois de muitos anos morando em São Paulo, a escritora voltou à cidade natal onde morou até o fim da vida. Cora foi uma poetisa, contista, doceira, dona de casa, sertaneja, entre tantas outras qualificações. A casa abriu como museu em 1989. Quem a visita, pode ver o quarto de Cora, com os vestidos pendurados na parede. Na cozinha, estão os tachos de cobre onde preparava os deliciosos doces. Há fotos, livros, móveis e cartas no interior da casa, além do jardim nos fundos e da bica de água potável.

Casa de Cora Coralina: R. D. Cândido, 20. Funciona de terça a sábado, das 9h às 16h45, e domingo, das 9h às 15h45. Preço: R$ 4.

 

RÚSSIA
Em Moscou

Casa de Tolstói

Berço de importantes escritores, Moscou transformou em museu a casa de pelo menos uma dezena de escritores russos. É o caso do casarão de madeira que serviu de morada para a família de Léon Tolstoi. O autor de “Guerra e Paz” e “Anna Karenina” morou por 19 anos na residência com sua esposa e filhos durante os invernos, já que no verão preferia a casa de campo de Yasnaya Polyana. No andar térreo, há os quartos das crianças (o escritor teve treze filhos, sendo que oito sobreviveram), a cozinha, sala de jantar e o quarto do escritor. No andar de cima, fica a sala de visitas, onde Tolstói realizava saraus literários e musicais, recebendo grandes personalidades da época. No piano da casa, já tocaram nomes como pianista e compositor Rachmaninoff. Ainda neste andar, está o escritório onde escreveu seu último romance, Ressurreição. A casa não conta com energia elétrica, nem água encanada, sendo preservada do mesmo modo que Tolstói a deixou.

Casa Museu de Tolstói: 9 ul. Lva Tolstovo. Funciona de terça a domingo, das 10h às 17h. Fecha na última sexta-feira do mês. Preço: 200 rublo (R$ 11,46).

 

HOLANDA
Em Amsterdã

Casa de Anne Frank

Divulgação

Escrivaninha de Anne Frank com seu famoso diário de capa vermelha


A casa onde a menina de 13 anos Anne Frank ficou escondida e escreveu seu famoso diário durante a ocupação nazista na Holanda é hoje um museu. O imóvel do ano de 1635 recebe cerca de 900 mil visitantes por ano. A emoção toma conta do passeio, que mostra quadros e histórias descritas no diário, além de contar a história do Holocausto. Ao entrar no porão onde duas famílias viveram por dois anos, é possível ver parte das marcas desse período, como as anotações do crescimento de Anne e sua irmã Margot feitas na parede por seus pais. 

Casa de Anne Frank: Prinsengracht 263-267. Funciona diariamente, das 9h às 21h, de março a setembro. Julho e agosto, o museu permanece aberto até as 22h. De setembro a março, fecha às 19h. Preço: 8,50 euros

 

CUBA
Em Havana

A casa de Hemingway

Natural de Oak Park, no estado americano de Illinois, o escritor norte-americano Ernest Hemingway morou em diferentes cidades dos Estados Unidos e do exterior. Com isso, o autor de "Por Quem os Sinos Dobram" tem mais de uma casa transformada ponto turístico, como a residência onde nasceu em Oak Park e a outra em que morou por mais de 10 anos em Key West, Flórida. Mas Hemingway também atrai turistas em Cuba, onde permaneceu por cerca de 22 anos. Em São Francisco de Paula, nas cercanias de Havana, fica a Finca Vigía, seu primeiro imóvel particular no país caribenho. Lá, escreveu algumas de suas maiores obras-primas, como "O Velho e o Mar". Atualmente a casa funciona como museu e foi preservada do mesmo modo que o escritor a deixou, nos anos 1950. Não é possível entrar na residência. Isso significa que o visitante deverá apreciar os cômodos pelas portas e janelas abertas.

Finca Vigía: Carretera Central, km 12,5, São Francisco de Paula. Funciona de quarta a segunda, das 9h às 16h30. Preço: 4 pesos cubanos (R$ 7) para visita guiada.

Leia também:

Hospedagens para amantes da literatura
Literatura nos cafés de Buenos Aires
Turismo e letras se unem em cidades brasileiras

 

Quer saber mais novidades de turismo? Siga a gente no twitter:@igturismo

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Contador de notícias