iG - Internet Group

iBest

brTurbo

Guia para trabalhar como babá no exterior

Programa Au Pair é opção barata para jovens que querem mergulhar na cultura de outro país e, ainda, serem remunerados por isso. Confira o nosso guia e trabalhe como babá no exterior

Camila Sayuri, iG São Paulo

Acordar às seis, dar café da manhã às crianças, arrumá-las e levá-las para escola, fazer o almoço, brincar à tarde toda com os pequenos, aguentar as manhas, dar banho, fazer o jantar e botar os “anjinhos” para dormir. Depois de tudo isso, ainda ter pique para frequentar a escola. Essa era a rotina da estudante de administração Kaiane Lopes Pereira, de 20 anos, durante o ano em que trabalhou como babá em Katonah, no estado de Nova York.

Como milhares de outras garotas e raríssimos rapazes, a jovem de Sorocaba decidiu sair do Brasil para ser babá no exterior. A experiência faz parte do programa Au Pair, uma forma econômica de intercâmbio, no qual a pessoa trabalha cuidando de crianças e morando em casas de família nos Estados Unidos, na Europa e na Austrália.

Apesar do trabalho puxado, Kaiane, que voltou ao Brasil em março deste ano, diz sentir falta da vida que levava lá. "É uma oportunidade única de conhecer pessoas novas, outra cultura, aprender uma língua diferente e ir viajar. Foi a melhor experiência da minha vida”, afirma.

Arquivo pessoal

Kaiane: muita diversão e rotina puxada com as crianças Bryce e Colin


More no exterior gastando pouco

Um dos intercâmbios no exterior que mais cresce no Brasil, o Au Pair é bastante visado por ser uma forma mais acessível de morar no exterior. Para os Estados Unidos, o destino buscado por mais de 80% das brasileiras, o custo do programa gira em torno de US$ 700 a US$ 900, sendo parte deste valor (de US$ 200 a US$ 500) reembolsado ao fim do curso. O pacote inclui ainda as passagens aéreas, pagas pela família.

Toda Au Pair recebe uma remuneração mensal que varia de país para país (veja como o programa funciona nos outros países). Nos Estados Unidos, o salário é de US$ 195,75 por semana, mais uma bolsa de estudo no valor de US$ 500. A carga horário de trabalho é de 40 a 45 horas por semana, com direito a 1 dia e meio de folga por semana, um final de semana inteiro por mês e duas semanas de férias remuneradas. O intercambista tem quarto próprio, todas as refeições e, muitas vezes, pode usar o carro da família.

“É um programa bastante acessível, em nenhum outro intercâmbio você consegue ir com este valor”, afirma Heloisa Chaves, 37, diretora da Cultural Care no Brasil

 

Pré-requisitos para ser uma Au Pair

Para ser uma Au Pair, no entanto, há alguns pré-requisitos. As jovens que quiserem trabalhar com famílias americanas devem ter entre 18 e 26 anos, inglês intermediário, experiência comprovada com crianças (de 100 a 200 horas), ensino médio completo e carteira de motorista internacional. A duração mínima do programa é de um ano, com possibilidade de ser estendido por mais um ano.

Além das exigências formais, é preciso ter a certeza de que o seu perfil é adequado para este programa. “O Au Pair não é programa para todo mundo. Além de gostar de crianças, a pessoa deve ser flexível e saber se adaptar a rotina e os hábitos de outra família. É também um programa de trabalho, não de viagem ou só de estudo”, explica Heloísa.

Segundo a gerente comercial da Experimento Intercâmbio, Emilia Miguel, é importante também que a pessoa já tenha um nível de inglês suficiente para se comunicar. "As garotas sofrem uma mudança drástica de vida, por isso é importante que ela consigam conversar com a família para entender os hábitos e a rotina da casa", explica.

 

Contato com as famílias

O processo de escolha, ou de ser escolhido, para Au Pair também é importante para evitar frustações futuras. Famílias cadastradas nas agências tem acesso ao banco de dados das postulantes a babá, onde escolhem a candidata. Depois disso, será feito um primeiro contato por telefone. É o momento em que as jovens podem ver o perfil e as expectativas dos futuros patrões. E, se for necessário, rejeitar esta primeira família e buscar uma nova. Afinal, será muito mais complicado perceber lá fora que você não se enquadra na casa.

O tempo médio de espera entre a decisão de ser uma Au Pair e o fim do processo de contratação e embarque costuma ser de seis meses. "Tem pessoas cujo processo é mais rápido e outras, mais lento. Se você coloca que fuma, faz exigências da idade das crianças, tem pouca experiência, pode demorar mais tempo para encontrar uma família", explica Emília

 

Leia também:

Ex-au pairs contam suas experiências
Veja pacotes do programa Au Pair
Entenda como funciona o Au Pair nos diferentes países

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Contador de notícias