iG - Internet Group

iBest

brTurbo

Teotihuacán: apogeu e declínio da cidade dos deuses

Sítio arqueológico visitado por milhares de turistas anualmente, foi uma das maiores cidades do mundo antigo, com construções datadas do século II

Marina Morena Costa, especial para o iG

Os primeiros habitantes do vale de Teotihuacán viveram ali por volta de 400 a.C., em pequenas aldeias dispersas. A cidade aumentou consideravelmente sua população entre os anos 100 a.C. e 1 d.C., após uma série de explosões vulcânicas no sul do México. É a partir do século II que as duas pirâmides começam a ser construídas (entre 150 e 250) para serem concluídas por volta do ano 400.

A cidade vive seu apogeu nesta época e chega a abrigar 180 mil habitantes em apenas 22 quilômetros quadrados. Grandes obras de abastecimento de água e sistemas de drenagem compõem a arquitetura de Teotihuacán. O governo mantém importantes relações comerciais com outras regiões densamente populosas, como Oaxaca, ao sul, e a Zona Maia, na costa do Golfo de México.

Marina Morena Costa

Detalhe de construção da Praça da Lua

Abandono misterioso

Entre 650 e 750, Teotihuacán entra em declínio e é abandonada por seus habitantes. As razões desse declínio não são claras, segundo informações do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do México. As evidências arqueológicas indicam que houve um grande incêndio em vários complexos residenciais e cerimoniais próximos da “Calzada de los Muertos”, uma poddível pista de seu declínio.

É possível que alguma mudança climática tenha provocado a migração dos índios teotihuacanos, porém o mistério nunca foi desvendado. O que se sabe é que o esplendor da cidade durou cerca de 500 anos e seu abandono outros 600 anos, até ser localizada pelos astecas e utilizada novamente como morada.

Apesar de muitos ligarem as pirâmides de Teotihuacán ao Império Asteca, este povo chegou ao local somente por volta do século XV. Impressionados com a beleza da cidade abandonada, os astecas imaginaram que ela só poderia ter sido criada por deuses e a batizaram de Teotihuacán, "Lugar dos Deuses” ou “Lugar onde se fazem Deuses”, nome que entrou para a história. As pirâmides, construções e objetos arqueológicos ficaram como testemunhos mudos dos mistérios e da grandeza da civilização teotihuacana.

 

Veja também:

Teotihuacán: a cidade dos deuses

As pirâmides de Teotihuacán
- Pacotes para Cidade do México e Teotihuacán
Como chegar a Teotihuacán e visitas guiadas
O apogeu e o declínio de Teotihuacán
- Veja fotos de Teotihuacán

Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG




publicidade



Contador de notícias