Preparamos um roteiro especial em uma das cidades mais queridas pelos casais

Pequena vila de Mauá é cercada por imensa área verde
Camila Sayuri
Pequena vila de Mauá é cercada por imensa área verde
Seria fácil listar razões que levam os viajantes a amar Visconde de Mauá. As lembranças das pousadas charmosas, das belas cachoeiras, das coloridas lojinhas de artesanato e dos restaurantes com cardápios elaborados logo vêm à mente. Mas, o local tem ainda na fama de destino ideal para namorar um de seus principais chamarizes.

Não que faltem às famílias com crianças, aventureiros ou ecoturistas motivos para visitar o antigo reduto hippie das décadas de 70 e 80 (e há, muitos). Ainda assim, é inegável a atmosfera romântica das três vilas do lugar: Mauá, Maringá e Maromba, que pertencem a três municípios diferentes, Resende (RJ), Itatiaia (RJ) e Bocaina de Minas Gerais (MG).

Para alívio dos viajantes, a escapadela à Visconde de Mauá se tornou uma tarefa menos árdua com a aguardada Estrada Parque, que pôs fim ao esburacado acesso de terra. O trecho até a vila de Mauá está quase finalizado, com apenas algumas obras na pista, e o projeto é levar o asfalto até a última vila, Maromba.

Pousadas românticas

Mas a sinuosa estrada de terra não impedia os viajantes de buscarem uma das cerca de 160 pousadas da região. Aliás, curtir a preguiça dentro dos quartos é uma dos programas preferidos em Visconde de Mauá. Independentemente do hotel escolhido, é possível que seu apartamento conte com lareira , banheira de hidromassagem próxima à janela e camas amplas.

Diferente de outros destinos românticos, como Campos do Jordão ou Gramado, as pousadas de Visconde de Mauá costumam ter poucos chalés ou apartamentos, garantindo a privacidade desejada aos hóspedes. Muitos estabelecimentos, inclusive, não aceitam crianças.

Para facilitar a escolha, os visitantes devem pensar na localização do estabelecimento, apesar da distância entre as vilas ser de cerca de 5 quilômetros. Quem se hospeda perto da vila de Mauá, não precisa encarar grandes trechos de estrada de terra com seu carro e conta com a proximidade de bons restaurantes. Quem opta pela vila de Maringá, o centro da região, encontra um mais opções gastronômicas e de compras. Maromba, por sua vez, é bastante procurada por suas cachoeiras, conta com opções de camping e atrai muitos jovens e aventureiros.

Atrativos naturais

Mas não deixe a preguiça e o conforto dos quartos te prenderem dentro da pousada. Aproveite o dia para explorar algumas das mais belas paisagens da Serra da Mantiqueira.

A cachoeira do Escorrega é a mais visitada de Visconde de Mauá
Portal Visconde de Mauá
A cachoeira do Escorrega é a mais visitada de Visconde de Mauá
As cachoeiras mais bonitas estão na vila de Maromba. A preferida dos visitantes é a do Escorrega, em que as pedras se transformam em um tobogã natural. Próximo a ela, na queda d'água Poção da Maromba, os mais corajosos pulam de uma pedra a 7 metros de altura.

Imponente, a de Santa Clara, com 50 metros de queda, é um bom ponto para a prática do cachoeirismo (rapel em cachoeira). Para quem vai, vale aproveitar a visita para dar um pulo no vizinho Truta Rosa/Piscicultura Santa Clara, que conta com um restaurante aberto aos fins de semana.

Leia mais: Os melhores lugares para curtir o outono

Vale a pena também encarar a trilha pelas nove quedas do Vale do Alcantilado. Antes de começar a caminhada, dê um mergulho na piscina natural para banho logo no começo do trajeto. O percurso de 1,5 km não exige grandes esforços para ser percorrido e leva cerca de 1h30. Localizada em uma propriedade particular, cobra R$ 7 de entrada.

De carro, é possível chegar até bem próximo às cachoeiras e ao início das trilhas. Mas será preciso enfrentar as estradas de terra sinuosas e bem esburacadas. Quem não quiser encarar o desafio, pode alugar bicicletas, motos e quadriciclos no centro da vila de Maringá. Ou, ainda, optar por um passeio com uma agência local. Utilizando um jipe, a T&T Adventure (Tel: 24-3387-1080 ou 24-9979-6354) leva às cachoeiras do Escorrega, Véu da Noiva e Poção da Maromba por R$ 40. Já a trilha do Vale do Alcantilado sai por R$ 45.

Restaurantes

Aproveitado bem o dia, não vão faltar opções para um almoço farto ou um romântico jantar à luz de velas. Espalhados pelas vilas e estradinhas de terra estão restaurantes prestigiados. A especialidade da cozinha pode até mudar – brasileira, japonesa, italiana, frutos do mar – mas a maioria dos cardápios oferecerá pratos com truta, estrela máxima da culinária local.

Saiba mais: Nas janelinhas dos trens brasileiros

O restaurante D’Corleone, na parte fluminense de Maringá (sim, a vila é dividida pelo Rio Preto em Maringá-MG e Maringá-RJ, ligadas por uma ponte para pedestres), tem 21 tipos de molhos para acompanhar os filés de truta, que podem ser fritos ou defumados.

Quem gosta de comida mineira, também vai se deliciar com os restaurantes dedicados aos pratos tradicionais da região, como o Gosto com Gosto, da chef Mônica Rangel, na Vila de Mauá. Já no Uai, Tchê, em Maringá-MG, os apreciadores de uma boa cachaça encontram ainda cerca de 900 rótulos da bebida.

Quer um restaurante romântico para celebrar a viagem? A dica é o saboroso Rosmarinus Officinalis, localizado em um casarão rústico vermelho, com deque no jardim e salão com lareira, na estrada para Maringá.

Compras

Como toda viagem pede um suvenir de lembrança, nas três vilas há centrinhos com lojas de artesanato, roupas e chocolaterias. Nelas, diferentemente de muitas cidades turísticas, dá para encontrar artigos criativos e cuidadosamente produzidos.

Em Maringá-MG e Maringá-RJ, há desde as colchas e toalhas artesanalmente produzidas por Cecília Portugal, da Talhos e Retalhos, às velas decoradas da artista Val Haagen, da Casa das Velas, passando pelos modelos ousados de chapéus de Cristina Vieira, da Arte Chapéu. Já na vila de Mauá, não deixe de conferir os produtos da Casa da Sogra.

Como se vê, são muitos motivos para sair da pousada. Mas se a cama aquecida com lençol térmico ou a banheira de hidromassagem para o casal estiverem muito tentadoras, marque uma volta à Mauá para se reapaixonar outras vezes.

* A repórter viajou a convite da Vilarejo Acauã

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter .

________________________________________________________________________

** O iG Turismo não se responsabiliza pelos preços divulgados, sugerimos confirmar preços com agências e operadoras de viagens

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.