Cidade colonial preserva sua arquitetura e oferece muitas belezas naturais aos visitantes

Igreja histórica de Paraty
Getty Images
Igreja histórica de Paraty
Se você ainda não conhece a bela cidade histórica e colonial no Rio de Janeiro, julho de 2008 tem um motivo a mais para que você conheça Paraty. De 2 a 6 de julho, a cidade sedia a Flip (Festa Literária de Paraty), que, a cada edição, se confirma como um dos eventos literários mais importantes do país.

Como se isso fosse pouco, as belezas naturais da cidade, que preserva até hoje encantos naturais e arquitetônicos, são um convite para uma visita em qualquer época do ano. Passear pelo centro histórico de Paraty, onde é proibido o tráfego de automóveis, é como entrar em um túnel do tempo, rodeado de belas paisagens.

Leia também: Dez passeios em Paraty

Passeios de barco e escunas também são imperdíveis. Eles duram de 4 a 5 horas, e saem diariamente do cais da cidade. Quanto maior for o grupo, mais barato sai o passeio.

Aos amantes da natureza não faltam roteiros, já que na área da cidade estão o Parque Nacional da Serra da Bocaina, a Área de Proteção Ambiental do Cairuçú, onde fica a Vila da Trindade, e a Reserva da Joatinga. Para completar a lista de atrativos, Paraty faz limite com o Parque Estadual da Serra do Mar.

Como chegar:

Do Rio de Janeiro até Paraty, o acesso é pela Rodovia Rio-Santos (BR- 101). Saindo de São Paulo, chega-se até São José dos Campos pela rodovia Presidente Dutra (BR-116). Depois o acesso até Caraguatatuba se dá pela rodovia dos Tamoios (SP-099), seguindo até Paraty pela BR-101. De São Paulo também é possível pegar a Rodovia Anchieta (SP-150) ou Imigrantes (SP-160), chegando até Cubatão, Guarujá, Bertioga e depois pela BR-101 até Paraty. O acesso aéreo é possível através de aviões mono ou bimotor. Paraty tem um pequeno aeródromo com pista de 30 metros de largura e 585 metros de comprimento.

Onde ficar:

$ Camping e Pousada Marymar

$$ Hotel Coxixo

$$$ Pousada da Marquesa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.