Para chegar a este paraíso da Bahia é preciso percorrer 30 quilômetros por estradas de terra

Por mais que alguém descreva um local, apenas os olhos podem confirmar o que era esperado. Em Caraíva, este “esperado” se torna mais: é o mais alto nível da beleza natural. Um dos lugares mais paradisíacos do Brasil.

A bela paisagem que Caraíva oferece
Felipe Carneiro
A bela paisagem que Caraíva oferece

O acesso para Caraíva é difícil. São quase trinta 30 quilômetros por estradas de terra, a partir de Trancoso - que também não possui aeroporto. Ou seja: a cidade mais próxima é Porto Seguro, quase 100 quilômetros ao norte.

Mas isso não é um grande empecilho para chegar à pequena Caraíva, uma aldeia de pescadores que até 2008 não tinha nem energia elétrica e que ainda não está apta a receber carros (afinal, Caraíva não tem ruas, é praticamente uma ilha e, para pisar nela, somente atravessando o Rio Caraíva de barco em um dos dois pontos de travessia, depois de passar pelas estradas de terra e algumas aldeias indígenas...). Mas, caro leitor, não se assuste com a descrição. Para tudo existe compensação.

Para atravessar o rio, é preciso deixar o carro em Nova Caraíva, a pequena cidade que cresceu ao redor da vila praiana. A primeira entrada é a mais bonita, de onde, em alguns pontos da trilha, é possível tirar lindas fotografias com a vista para a praia. Por esta trilha passam apenas pessoas e animais, sendo proibido o fluxo de veículos. Nem as motos, as únicas que conseguiriam atravessá-la, são bem-vindas. E este é o ponto em que o turista é recompensado.

A vila de Caraíva é muito tranquila
Felipe Carneiro
A vila de Caraíva é muito tranquila
O sol brilha constantemente. O dia é o principal aliado de quem vai em busca do sossego, espalhado pela praia quase deserta em baixa temporada e um pouquinho mais agitada durante o verão. Para combater o calor, as sombras dos coqueiros que agem como verdadeiros oásis ao final da faixa de areia.

O estilo de vida é bem parecido do que foi o movimento hippie, só que praticado pelos próprios baianos. Existem pousadas, que em sua maioria fecham na baixa temporada, mas o forte da hospedagem ainda é o camping. A alimentação é baseada em peixes e frutos do mar, todos frescos e muito saborosos. Para curtir a noite, os forrós são os mais procurados, garantindo boa diversão.

>> Siga o twitter do @igturismo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.