Autor de novelas da TV Globo, novo sócio da pousada em Itaipava mantém comando da requintada cozinha herdada de Danio Braga, mas investe em melhorias

A Locanda Della Mimosa traz novidades.
George Magaraia
A Locanda Della Mimosa traz novidades. "Agora crianças são bem-vindas", diz Aguinaldo Silva
A música clássica embala a chegada do visitante. Um simpático funcionário o encaminha até a entrada da casa confortável e aconchegante. A sala em nada se parece com o ambiente de um hotel, pousada ou restaurante. Livros acomodados em estantes, uma ampla lareira e janelas que se abrem para um belo jardim compõem o que poderia ser a sala de estar da sua própria casa. Não fosse por um único elemento: a presença do autor de novelas da Globo Aguinaldo Silva .

Leia também: Adega da Locanda Della Mimosa tem vinhos entre R$ 70 e R$ 10.800

Com um sorriso nos lábios e a simpatia de quem recebe um amigo, Aguinaldo cumprimenta a equipe de reportagem do iG . Desde julho deste ano, quando o autor da novela das oito “ Fina Estampa ” se tornou sócio da Pousada Locanda Della Mimosa, em Itaipava, região serrana do Rio de Janeiro, detendo 70% do negócio, a experiência é comum para quem passa por lá. Aguinaldo, que há alguns anos possui uma casa na região, costuma conferir de perto a rotina da pousada que só abre nos finais de semana.

“Um dos meus maiores prazeres aqui é realmente comer bem, beber um bom vinho e ter a chance de conversar, bater papo com as pessoas, ficar na mesa sem nenhuma pressa. Ninguém vai te dizer que está na hora de fechar. Isso é uma coisa fantástica”, diz ele. A sócia Lilian Seldin, que fundou a Locanda há 20 anos junto com o ex-marido, Danio Braga, corrobora a opinião de Aguinaldo e explica que os luxos da pousada não estão nos quesitos óbvios como lençóis de algodão egípcio de 1500 fios ou outras regalias que podem ser encontradas em qualquer hotel renomado.

“Hoje em dia você acha lençóis e travesseiros bons em tudo que é lugar. Acho que o principal é manter tudo impecável. Você não pode ter lençol rasgado, toalha com fio puxado, alguma coisa suja. Para você gastar dinheiro precisa estar em um lugar tão bom ou melhor que a sua casa. Esse é meu lema. Aqui não é o lugar mais luxuoso do mundo, a ideia é ter o aconchego”, afima Lilian.

Os dois planejam novidades para o espaço, mas sem deixar de lado as características que tornaram a Locanda uma referência em enogastronomia. “Agora crianças são bem-vindas”, diz Aguinaldo. “Quando a Locanda foi fundada os casais queriam vir aqui sem criança para curtir uma noite de amor, mas as famílias mudaram”, explica Lilian.

Lilian Seldin:
George Magaraia
Lilian Seldin: "O nome Locanda tem que ser maior do que qualquer pessoa"
Polêmicas

Ambos garantem, no entanto, que a Locanda continua a mesma. Inclusive após a saída de Danio, o renomado chef responsável pela fama do lugar. Nas últimas semanas o Guia Quatro Rodas, no entanto, divulgou sua tradicional lista de restaurantes estrelados e, pela primeira vez, diminuiu o status da Locanda para duas estrelas. Apesar da notícia, Lilian e Aguinaldo encaram o episódio com bom humor e determinação. “Quando estávamos à venda deveriam ter tirado todas as estrelas inclusive. Eu até que fiquei com duas? (risos) Vamos reconquistar no ano que vem, sem dúvida”, afirma Lilian, que explica melhor o episódio.

“Um restaurante que está à venda não pode ser um restaurante estrelado. O que eu posso fazer? Claro que não gostei de perder, mas entendo a situação deles”, diz ela. Questionada se o fato não teria a ver com a saída de Danio, esclarece: “Sei que já estavam pensando em tirar a gente no ano passado e o Danio ainda estava na Locanda. Então afirmo com toda certeza que não foi isso. Nesses anos em que estava à venda a minha alegria não era a mesma e nem a do Danio. A gente estava separado, a Locanda à venda e também não queríamos fechar. Deu nisso”.

A empresária chegou a conversar com Aguinaldo sobre a saída do ex-marido. “Falei para o Aguinaldo que o nome Locanda tem que ser maior do que qualquer pessoa. A gente está aqui para fazer a Locanda ser importante. Não importa se é a Lílian, o Aguinaldo, ou quem quer que seja ”, afirma ela.

Vinhos para todos os bolsos e diária de R$ 750

Para a dupla, a pousada não perde em nada. “Quem cozinha continua cozinhando”, diz Aguinaldo, se referindo ao chef Paulo Duarte, há 15 anos na casa, que comanda o menu da Locanda ao lado do sommelier Antônio Carlos da Costa, há 14 no local, e o maitre Leonardo Modesto, há 4.

O sommelier Antônio Carlos da Costa está na casa há 14 anos
George Magaraia
O sommelier Antônio Carlos da Costa está na casa há 14 anos
“O que queremos tirar é essa imagem de que o restaurante é uma coisa chiquérrima, cheia de pompa. Não é isso. É só um restaurante onde você é bem tratado, tem um serviço direito e uma comida corretíssima. Se a gente for falar de preços, o nosso está de acordo com o da região”, diz Lilian. Aguinaldo faz coro, lembrando que a requintada adega conta com bons rótulos a partir de R$ 70. “ Mas também temos vinhos de R$ 5 mil se você quiser”, completa ele. Já as diárias para casal são únicas e saem por R$ 750, mais 12% de taxas, e inclui café da manhã, refeição para duas pessoas e o chá da tarde.

De origem humilde e apreciador da boa mesa, Aguinaldo atribui o gosto requintado à boa educação que recebeu dos pais. “Quando percebi que tinha uma certa independência financeira, resolvi que tinha chegado a hora de aprender coisas que, habitualmente, não passariam por mim se eu não tivesse chegado aonde cheguei. Isso incluía viajar, comer bem, entender de vinhos, essa coisa toda. Procurei dedicar o resto da minha vida a esse lado”, explica ele, que tem três adegas particulares.

Paixão pela boa mesa

Aguinaldo diz que suas coleções não se comparam à adega da Locanda apesar de contar com preciosidades. “Tenho uma coleção de vinhos do Porto que comprei num leilão, inclusive um de 1660 e pouco, que pertenciam ao ex-presidente Figueiredo e estavam na adega dele aqui em Teresópolis. Por isso estavam tão bem conservados”, diz o autor, que se irrita com a mania de colecionadores de nunca abrirem suas garrafas.

“Um dia desses abri uma garrafa de 1896 e foi uma experiência incrível. A sensação que você tem - a comparação parece terrível - é a mesma de descobrir alguém que morreu há 400 anos e no que abre a garrafa aquela pessoa vai criando vida”, afirma Aguinaldo, que dentre os vinhos da Locanda confessa ser fã dos portugueses, como o Chryseia, que custa cerca de R$ 200 a garrafa.

“Sou bastante curioso e muitas vezes escolho experimentar não necessariamente os clássicos. O interessante é descobrir vinhos que nem precisam ser muito caros. Tenho um certo feeling quando olho a carta”, diz ele.

Aguinaldo Silva passou a ser sócio da pousada em julho deste ano e detém 70% do empreendimento
George Magaraia
Aguinaldo Silva passou a ser sócio da pousada em julho deste ano e detém 70% do empreendimento
Ao contrário do que acontece em seu restaurante em Lisboa, o Brasileiríssimo, Aguinaldo garante que não interferiu no cardápio da Locanda. “No Brasileiríssimo sim, tem uma receita minha porque eu cozinho e tenho o grande prazer de cozinhar, mas aqui temos um excelente chef. Longe de mim dar ideias para ele”, afirma Aguinaldo, bem-humorado. Sobre um prato imperdível, recomenda o cordeiro e as massas feitas artesanalmente, e cita a feijoada reformulada. “É um dos últimos lançamentos. Uma feijoada levíssima, mas com todos os ingredientes da feijoada tradicional”.

Apesar de comentar sobre os pratos e vinhos preferidos, Aguinaldo ressalta que sua verdadeira dica é que as pessoas escolham por conta própria e nunca “vão pelo preço”. “Às vezes você descobre tesouros”.

Merchandising

O novelista rejeita o rótulo de empresário mesmo com investimentos no mundo dos negócios. “Não tenho a visão do empresário. É mais a visão de um frequentador. Tenho casa em Lisboa, mas todo final de semana vou para um hotel, frequento o spa, vejo como funciona, como é decorado, observo tudo. Porque a minha profissão não é empresário, é autor de novelas”, afirma ele, que precisou lidar com as críticas quando, no começo de “Fina Estampa”, uma sequência citava a Locanda, em aparente merchandising.

“Como tenho casa aqui sempre falo muito de Itaipava e quando escrevi a cena foi em maio. Eu ainda não tinha nada a ver com a Locanda. Depois alguém da TV Globo lembrou que a pousada estava à venda e a cena foi cortada. Mas acabou indo ao ar. Levei o maior susto quando vi. Um monte de gente falou: ‘A TV Globo não reclamou?’. As pessoas criam um factoide” , explica Aguinaldo, que se divertiu com a polêmica.

Modernizações

Na lista de novos projetos para a Locanda está a ampliação do número de suítes – atualmente são seis e, no futuro, os sócios pretendem construir pelo menos mais quatro -, a adaptação da horta que já existe para um espaço específico para crianças onde elas poderão aprender a lidar com a terra e ter contato com animais, a construção de um local para recepções de casamentos, além da criação de uma nova área de fitness e de uma possível mudança da piscina para outro ambiente.

Uma das seis suítes da Locanda. Mais quatro serão construídas
George Magaraia
Uma das seis suítes da Locanda. Mais quatro serão construídas
“Todas as alterações são, na verdade, atualizações. Vamos ter um jardineiro, que vai ser uma pessoa que entenda um pouco de pedagogia e vai ensinar como pega a semente, planta, tudo isso. Conheço crianças em São Paulo que, quando viram uma vaca, ficaram estarrecidos. Claro que não vamos ter uma vaca embora tenhamos araras, tartaruga, um Golden Retriever e uma bela horta”, diz Aguinaldo, que pretende fazer apenas uma interferência.

“Tenho um museu em casa”, diz ele, se referindo a sua extensa coleção de obras de arte. “O que pensei em fazer é trazer uma peça por mês, que pode ser uma escultura, um quadro, alguma coisa da minha coleção e deixar à mostra. Uma coisa discreta, uma única peça que será substituída, aí as pessoas passam e olham sem nenhuma obrigação”, conta ele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.