Confira as atrações mais belas e curiosas da região

Flickr/ Lucas FLavio
No meio do Brasil, dunas de fazer inveja a muita praia
O Jalapão é um destino forte, para fortes. Ali, a natureza é tão exuberante quanto dura. O calor facilmente atinge os 35ºC, os mosquitos pólvora devoram as pessoas até dentro dos potentes 4x4 (nem pense em ir com um carro sem tração), as trilhas são esburacadas, não sinalizadas e poeirentas, e a distância entre uma atração e outra chega a ultrapassar os 70 km, sem que se cruze com nenhum outro veículo ou pessoa dentro do Parque Estadual.

Com 34 mil km², o parque engloba oito municípios, sendo os principais Mateiros e Ponte Alta do Tocantins, a cerca de 200 km da capital, Palmas. Ponte Alta, onde estão alguns dos principais atrativos, é considerada a porta de entrada.

Acompanhe as novidades do iG Turismo também pelo Twitter .

Mateiros também oferece alguns dos pontos altos da viagem, como a potente Cachoeira da Velha e as dunas de areia amarela, que se acumularam ao longo de um extenso processo de desertificação da Serra do Espírito Santo, a alguns quilômetros de onde se erguem as dunas.

Por conta dessa grandiosidade, visitar todo o parque do Jalapão é tarefa quase impossível, e quatro dias é o tempo mínimo requerido para conhecer o que ele oferece de mais belo – dunas, cachoeiras, fervedouros e outras paisagens.

Confira seis das atrações mais belas e curiosas da região.


1. CACHOEIRA DA VELHA

Cachoeiras que formam piscinas naturais e encantam o olhar fazem parte da paisagem no Jalapão
Flickr/ Lucas FLavio
Cachoeiras que formam piscinas naturais e encantam o olhar fazem parte da paisagem no Jalapão
Potente e agressiva, é formada pelo rio Novo, o maior rio de água potável do mundo. Suas águas cor de chá descem caudalosas e com força brutal por diversos quilômetros, indo formar, mais abaixo, pequenas praias e quedas d’água. Uma passarela de madeira com cerca de 600 metros conduz até a parte da frente da cachoeira, onde se tem um ponto seguro para a observação. O barulho e o volume de água da cachoeira são impressionantes.

2. PRAINHA

Prainha formada pelas águas da cachoeira da Velha
Sabrina Duran
Prainha formada pelas águas da cachoeira da Velha
Formada pelas águas da Cachoeira da Velha é, diferentemente daquela, tranquilíssima e rende um bom par de horas de banho. Cercada por árvores frondosas – uma exceção na vegetação do cerrado –, a Prainha oferece um silêncio típico dos lugares ermos e desérticos do Jalapão.

3. DUNAS

As dunas do Jalapão, parte do processo de desertificação das falésias da Serra do Espírito Santo
Sabrina Duran
As dunas do Jalapão, parte do processo de desertificação das falésias da Serra do Espírito Santo
As dunas do Jalapão são fruto de um processo de desertificação das falésias da Serra do Espírito Santo. Exuberantes, imensas e amarelas, são cercadas por pequenos lagos, buritizais e cerrado, e “cobertas” pelo céu azul do Tocantins. Vale a pena gastar duas horas caminhando por ali, apreciando a paisagem e observando as flores delicadas que brotam discretas do solo arenoso. No pôr-do-sol, espelhos d’água azul metálico formam-se sobre os lagos.

O capim dourado, planta típica da região que gera peças de artesanato únicas
Sabrina Duran
O capim dourado, planta típica da região que gera peças de artesanato únicas
4. CACHOEIRA DO FORMIGA
Esta cachoeira tranquila e excelente para banho forma-se a 4,5km da nascente do rio Formiga. Sua água é fria (mas agradável) e tem uma bela coloração que varia do azul turquesa ao verde esmeralda.

5. POVOADO DO MUMBUCA
O povoado é formado por descendentes de escravos negros fugidos da Bahia miscigenados aos índios que já habitavam aquela região. Os habitantes do Mumbuca são precursores do artesanato feito com o capim dourado, espécie encontrada exclusivamente no Jalapão.

A primeira peça feita com o capim nasceu, nos anos 30, das mãos de dona Miúda, matriarca da comunidade quilombola do Mumbuca, falecida no início de 2011. É o artesanato que dá sustento às 40 famílias que vivem ali, em casas de adobe e palha e chão de terra batida.

6. FERVEDOUROS
Olhos d’água que “empurram” as pessoas para a superfície de verdadeiras piscinas naturais são uma das sensações do Jalapão. Conhecidos como fervedouros, esses recantos de água cristalina com areia clara reforçam o lado paradisíaco e misterioso da região. Para preservar a natureza, a entrada nos poços são limitadas.

Detalhe dos olhos d'água no fundo dos fervedouros
Sabrina Duran
Detalhe dos olhos d'água no fundo dos fervedouros

Serviço:
- Governo do Tocantins

- Agência de Desenvolvimento Turístico do Tocantins (ADETUR)

- Centro de Apoio ao Turista (CAT) em Ponte Alta
Av. Palmas, s/n – Setor Bela Vista
Tel.: (63) 3363-1185 ou 8475-3821
Horário de atendimento: de segunda a sexta, das 7h às 11h e das 12h às 17h

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.