Cenário da novela "Império" e da animação “Up”, paraíso rochoso de 2.734 m de altitude no Norte do Brasil exige muito espírito aventureiro

Com impressionantes 2.734 metros de altura e localizado na fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, é cercado por Tepuis
Getty Images
Com impressionantes 2.734 metros de altura e localizado na fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, é cercado por Tepuis

Quem assiste à novela da Rede Globo "Império" ou viu a animação da Disney/Pixar “Up – Altas Aventuras” talvez não saiba que o paraíso rochoso sul-americano não é apenas cenário. Ele existe, tem nome, endereço e já encantou milhares de turistas de todo o mundo. É o Monte Roraima, platô localizado na fronteira entre Brasil , Venezuela e Guiana.

Para alcançar esse monte, que está entre os dez mais altos do país, é preciso adentrar as paisagens amazônicas venezuelanas e chegar ao vilarejo indígena de Paraitepuy, onde começa a trilha.

Os guias são os próprios índios de Paraitepuy, que já perderam muito de seus costumes e tradições. Os pernoites são feitos em acampamentos montados próximos de rios, onde os aventureiros podem tomar banho – frio – após um dia de longas caminhadas. O “ataque” ao Monte é feito somente no terceiro dia da expedição e lá no alto as barracas são acomodadas em grutas.

- Leia também:
Escale o topo do Brasil
Nas alturas do Pico da Bandeira
Encare o Pico das Agulhas Negras

Aventureiros levam três dias para chegar ao topo do Monte Roraima
Evelyn Araripe
Aventureiros levam três dias para chegar ao topo do Monte Roraima

Diferente da maioria dos picos, o Monte Roraima tem a vantagem de ter o formato de uma mesa com 40 km de extensão. A forma plana facilita expedições no topo. Por isso mesmo, muitos turistas acabam ficando alguns dias hospedados lá no alto, onde a temperatura pode chegar a menos de zero grau à noite.

A recompensa está no visual, único no planeta. Pesquisadores dizem que o Monte Roraima guarda vestígios em suas formações rochosas, fauna e flora de milhares de anos. Há, inclusive, marcas que relembram o período jurássico.

Como chegar: De Boa Vista a BR-174 é a rodovia que leva até Pacaraima, cidade brasileira na fronteira com a Venezuela. Táxis lotação saem a todo o instante da capital e há também ônibus rodoviário. Em Pacaraima é preciso tomar outro táxi até a cidade de Santa Elena de Uairén, na Venezuela, onde começa a expedição.
Tempo: 6 a 10 dias
Nível de dificuldade: Alto
Infraestrutura para turistas: Em Pacaraima e Santa Elena de Uairén há pousadas simples e pequenos restaurantes para receber os turistas. A partir de Paraitepuy os pernoites são feitos em barracas nos acampamentos ao longo da trilha. As refeições também precisam ser levadas na mochila, junto com o equipamento de cozinha de camping. Muitas agências incluem no preço do pacote carregadores, que se responsabilizam por cozinhar.
Cidades de apoio: Pacaraima, Roraima e Santa Elena de Uairén, Venezuela.
Dicas: Para entrar na Venezuela é preciso estar com passaporte e carteira de vacinação contra febre-amarela em dia. RG não é aceito. É possível a partir de Santa Elena de Uairén seguir direto para Paraitepuy sem contratar uma agência especializada. Nesse caso, o guia para a trilha é contratado direto no vilarejo indígena. No entanto, o acesso para Paraitepuy não é fácil e muito menos bem sinalizado, além de passar por várias barreiras de policiais venezuelanos que adoram implicar com estrangeiros. Estar com um nativo nessas horas pode ajudar.

No Brasil existem algumas agências que organizam expedições para o Monte Roraima, a mais conhecida é a Roraima Adventures . Os pacotes incluem hospedagem em Boa Vista, traslado para Paraitepuy, guia autorizado, equipamentos para camping e todas as refeições.

Não esqueça de levar agasalho, pois faz muito frio no topo, protetor solar e repelente. Em todo o trajeto só é permitido usar sabonetes, xampu e condicionador biodegradáveis.

- Voltar à matéria principal

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Facebook do iG .


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.