Procissão atrai milhões de fiéis há mais de 200 anos pelas ruas de Belém

Imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, em direção ao distrito de Icoaraci, em Belém (PA), de onde sai o Círio Fluvial,  na manhã deste sábado (13)
Igor Mota/Futura Press
Imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, em direção ao distrito de Icoaraci, em Belém (PA), de onde sai o Círio Fluvial, na manhã deste sábado (13)


No mês de outubro, Belém , no Pará, assume toda sua vocação cristã herdada dos colonizadores portugueses. O Círio de Nazaré , celebrado desde 1793 na cidade, atrai mais de dois milhões de fiéis para as principais ruas do município, o que lhe dá o status de maior evento religioso do Brasil e um dos que mais reúne fiéis em todo o mundo.

A festa tem seu auge no segundo domingo de outubro (14), quando a imagem da Virgem de Nazaré é levada em grande procissão pelas principais ruas da cidade, desde a Catedral Metropolitana até a Basílica de Nazaré .

Nos demais dias de festa acontecem vigílias e romarias rodoviárias, fluviais e em motocicletas, e praticamente todos os estabelecimentos públicos são decorados com o tema. Se você tem pouco tempo na cidade, procure focar nos momentos mais importantes da festa, como a missa do traslado, a missa do círio, a procissão da festa e a missa de encerramento. Por conta do grande número de horas em pé e caminhando, procure vestir-se confortavelmente. Tenha água e alguma comida leve à mão. Embora Belém seja o epicentro da festa mariana, o Pará inteiro celebra a data. Mesmo nas comunidades ribeirinhas mais isoladas há o Círio de Nazaré, ainda que em menores proporções.

Procissão sai da Catedral de Belém e segue até a Praça Santuário de Nazaré, onde a imagem da Virgem fica exposta aos fiéis
Sabrina Duran
Procissão sai da Catedral de Belém e segue até a Praça Santuário de Nazaré, onde a imagem da Virgem fica exposta aos fiéis

História
A história da Virgem de Nazaré de Belém começou em 1700, quando um caboclo encontrou uma estátua de Nossa Senhora próximo a um igarapé (que hoje corresponde aos fundos da Basílica de Nazaré). O caboclo resgatou a imagem, levou-a para casa, limpou-a e deu-lhe um pequeno altar improvisado. A imagem, conta-se, voltou inexplicavelmente para o lugar onde havia sido encontrada. Cada vez que o caboclo a resgatava e a levava de volta ao altar, o mesmo sumiço e reaparição no igarapé aconteciam. Uma ermida, então, foi erguida pelo homem naquele lugar de origem. Sua fama de milagrosa espalhou-se e o povo todo acorria ao local para prestar-lhe homenagem e render-lhe graças.

A tradição da procissão deu-se por conta da volta da santa de Portugal, para onde foi enviada em 1974 para ser restaurada. Quando chegou em Belém, foi levada em procissão pelos fiéis desde o porto da cidade até o santuário. Este é considerado o primeiro Círio.

Culinária
No Pará, a festa do Círio de Nazaré é tão importante que pode ser comparada ao Natal. E assim como na data de nascimento do Menino Jesus, um farto banquete com comidas típicas é preparado durante os dias de celebração.

Um dos pratos clássicos da época é a maniçoba, feita à base de folha de mandioca que, por ser tóxica e letal, precisa ser fervida durante sete dias e sete noites para ser consumida. O caldo grosso e escuro, temperado com linguiça, paio e carne de porco, lembra muito a feijoada – daí seja chamada de “feijoada paraense”.

- Confira um roteiro de locais para se deliciar com as comidas típicas da festa preparado pelo chef Thiago Castanho

Outro prato típico é o pato no tucupi, no qual a ave é cozida junto ao soro da mandioca brava. A preparação é servida com jambu, erva de sabor acentuado que adormece a língua. Diversos restaurantes típicos oferecem os dois pratos. Uma boa opção é comer no tradicional Lá em Casa , na Estação das Docas.

Arraial de Nazaré
Como é típico nas quermesses de igreja, sempre há uma área destinada a barraquinhas de comidas típicas, bebidas, jogos e bazar. Essa área é chamada Arraial, na Festa do Círio, e ela fica instalada na Praça Santuário . Além das opções clássicas de alimentação e diversão do Arraial, há também um parque de diversões funcionando ali durante os festejos do círio.

Miriti
Quando estiver passando pelas ruas de Belém durante sua peregrinação nazarena, fique atento à venda de brinquedos muito especiais feitos com caule da palmeira do miriti. São miniaturas de bichos, barcos e espécies da flora amazônica feitos de maneira artesanal, a maioria saído das mãos de artesãos da cidade de Abaetetuba. Para quem busca souvenires típicos para levar para casa na volta, os brinquedos de miriti são um bom presente.

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter .


Leia ainda:

- Saiba mais sobre Belém do Pará
- 15 motivos para visitar Belém do Pará
- Atrações para as crianças em Belém 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.