Uma das rodovias mais bonitas do Brasil, a Rio-Santos oferece praias deslumbrantes, belas paisagens de Mata Atlântica e muita história

Confira as principais cidades da rota
Arte iG
Confira as principais cidades da rota

Uma visão privilegiada da Serra do Mar – tendo como companhia o oceano Atlântico –, é a recompensa que aguarda o viajante que se aventurar pela famosa rodovia Rio-Santos, considerada por muitos brasileiros o roteiro mais bonito para se percorrer de carro.

A fama não é sem fundamento. Eternizada até mesmo em música pelo rei Roberto Carlos, “as curvas da estrada de Santos” guardam surpresas que alternam praias e belos trechos de serra – com direito a muitos mirantes espalhados pelo caminho –, além de contar um pouco sobre a história do Brasil: a exemplo de muitas cidades da costa litorânea, o trajeto reúne referências importantes do período da colonização e dos primeiros bandeirantes que desbravaram o litoral, rumo ao interior do País.

Os gastos da viagem dependerão, principalmente, da época do ano escolhida para pegar a estrada. O verão é ideal para curtir as praias mas, por isso mesmo, os preços aumentam. Se no inverno os custos costumam baixar com a escassez de turistas, eventos como a Semana de Vela de Ilhabela e a Festa Literária Internacional de Paraty, fazem as cidades fervilharem. Programe-se com antecedência para evitar surpresas desagradáveis no bolso. 

Veja mais:
- Rio de Janeiro por terra, por ar ou por mar
- Descubra a cidade brasileira cenário da saga "Crepúsculo"

O trecho da SP-055 e da BR-101 que liga a cidade de Santos (SP) ao Rio de Janeiro (RJ) tem 457 km de extensão. Mas em muitos pontos é preciso se afastar um pouco do caminho principal para conhecer algumas das cidades construídas aos pés da Serra do Mar. Os desvios, entretanto, compensam o esforço.

Em Santos , comece o passeio com uma caminhada pela praia. Principal cartão-postal da cidade, os 7 km são contornados pelo maior jardim de orla marítima do mundo (Guinness Book of Records, 2000), ladeado por uma ciclovia com cerca de 8 km de extensão. Com cerca de 5,5 km de comprimento e largura entre 45 m e 50 m, os jardins contam com 815 canteiros. Coube ao engenheiro Saturnino de Brito a ideia da sua construção, em 1914.

Se a ideia é agradar às crianças, a visita ao Aquário Municipal é imperdível (Praça Luiz La Scala, s/nº, tel: (13) 3278-7830, aberto de terça a sexta-feira, das 9h às 17h45. Na temporada de verão, funciona diariamente, das 9h às 18h45; sábados, domingos e feriados, das 9h às 19h45. Ingresso: R$ 5. Menores de 12 e maiores de 60 anos têm entrada gratuita) . Segundo parque público em visitação no Estado de São Paulo, atrás apenas do Zoológico da capital, é um lugar de lazer, diversão, cultura e pesquisa, expondo centenas de espécies raras e curiosas da fauna aquática de diversas partes do mundo.

Local preferido dos aficcionados da pesca e espaço privilegiado para a observação do movimento de navios na entrada do Estuário de Santos, o Deck do Pescador é um dos cartões-postais da cidade (Avenida Bartolomeu de Gusmão, em frente ao nº 192, 
tel: (13) 3201-8000.
Entrada grátis.
Aberto 24 horas por dia) . Localizada em frente ao Museu de Pesca, a construção avança 35 m sobre o mar e permite a pesca de peixes como perna-de-moça, robalo, caratinga e baiacu.

Veja também:
- 10 passeios bate e volta saindo do Rio
- 10 passeios bate e volta saindo de São Paulo

Outro programa imperdível na cidade é a Bolsa Oficial de Café (Rua XV de Novembro, nº 95
- Centro Histórico, tel: (13) 3213-1750. Ingresso: R$ 5; crianças até 5 anos, grátis. De terça a sábado, das 9h às 17h – na temporada de verão, também às segundas-feiras –, e aos domingos, das 10h às 17h) . Criado em 1922 para abrigar a principal Bolsa de Café e Mercadorias do mundo – à época, Santos era a maior praça cafeeira do planeta – o prédio, com cerca de 6 mil m², é considerado um dos mais belos do município. A construção, com mais de 200 portas e janelas, abriga desde 1998 o Museu do Café , onde se encontra uma cafeteria, ponto de encontro de quem trabalha no Centro Histórico e visita obrigatória para os turistas. A grandiosa Sala dos Pregões tem no teto o vitral “A visão de Anhanguera”, de autoria de Benedicto Calixto.

Praia do Tombo, certificada com o selo Bandeira Azul
Divulgação/ Prefeitura de Guarujá
Praia do Tombo, certificada com o selo Bandeira Azul

Nossa segunda parada é a cidade de Guarujá . Terceira maior ilha do litoral do Estado de São Paulo, o município é famoso por suas 27 praias de águas limpas e mar aberto, o que o torna muito procurado pelos turistas na alta temporada. Além do litoral, Guarujá oferece construções históricas e trilhas de ecoturismo. Outra atração local é a pesca artesanal, que pode ser vista e praticada em diversas praias. Todas estas qualidades lhe valeram o apelido de “Pérola do Atlântico”.

A cidade, que por muitas décadas foi destino certo da alta sociedade paulistana, tem um charme todo especial. Entre os passeios que encantam o turista está uma volta pelo belo calçadão de madeira da praia de Pitangueiras (Centro, orla marítima) , um dos maiores cartões-postais do Guarujá. Outra praia que seguramente deve ser visitada é a do Tombo, que tem o selo internacional “Bandeira Azul”, concedido em 2010 pela Foundation for Enviromental Education (FEE) – credenciada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e Unesco.

As feiras de artesanato da cidade são tradicionais e muito conhecidas, com destaque para as da praia de Astúrias (Avenida Gal. Rondon, s.nº, ao lado da Colônia de Férias do SESC, todos os dias, das 14h às 20h) , praia de Pitangueiras (Praça das Bandeiras, ao lado Shopping La Plage, toda sexta-feira, sábados e domingos, 17h às 22h) e a da praia da Enseada (Praça Abílio dos S. Branco, toda sexta-feira, sábados e domingos, 17h às 22h) .

Forte São João, Bertioga
Divulgação/ Marcos Pertinhes
Forte São João, Bertioga

Seguindo o trajeto da rodovia, a próxima parada é a cidade de Bertioga , porta de entrada do litoral Norte paulista. São 482 km² de Mata Atlântica, que resultam em uma das maiores áreas de preservação do Estado de São Paulo. Nessa rica biodiversidade, entre os melhores programas estão as trilhas, que terminam em paraísos ecológicos, como o passeio de 3 km até a Praia Branca ou a descida de Acquaride pelas corredeiras do Rio Itapanhaú (Mais informações sobre estas e outras trilhas na Secretaria de Turismo, através dos tels: (13) 3317-3567 e 3317-4889) .

Com 33 km de litoral com águas limpas, o município conta com praias agitadas, como a Enseada, que recebe os eventos de verão, e tranquilas, como a Vista Linda, e voltadas aos velejadores (Indaiá). Na ponta Norte, a barra do Rio Guaratuba é ideal para reunir a família e amantes da pesca amadora.

Mais:
- Walking tour: Explore o Rio a pé
- 11 praias perfeitas no Rio de Janeiro

Bertioga também teve grande importância no desenvolvimento histórico do País. Prova disso é o Forte São João – a fortaleza mais antiga e também a mais conservada do Brasil, fundada em 1547 (Avenida Vicente de Carvalho, entre o Canal de Bertioga e a Praia da Enseada, no Centro. Aberto de segunda-feira a domingo, das 9 às 17 horas e durante a temporada, de segunda-feira a sábado, das 9 às 21 horas; e aos domingos, das 9 às 19 horas. As visitas são monitoradas e a entrada é franca) .

Praia de Toque Toque Grande, em São Sebastião
Divulgação/ Prefeitura de São Sebastião
Praia de Toque Toque Grande, em São Sebastião

A próxima parada é São Sebastião . Inserida entre a serra e o oceano, a cidade fundada em 1502 é rica em praias, florestas, rios, cachoeiras, vida noturna animada e culinária requintada. No Centro Histórico (Centro de Informações Turísticas, Av. Altino Arantes, s/nº, centro, tel: (12) 3892-2620)) , é possível reviver um pouco da história do Brasil. São sete quarteirões e oito edifícios tombados pelo Condephaat, entre eles casarios coloniais e igrejas do início do século 17.

Próximo ao Centro encontra-se o Bairro de São Francisco, um dos mais tradicionais de São Sebastião e que ainda guarda muito da cultura caiçara. Ali, à beira-mar, também está o Convento de Nossa Senhora do Amparo (Praça Lourenço Luvisi, s/nº, bairro São Francisco) , datado de 1664.

Deixando São Sebastião o destaque fica por conta de Ilhabela , um dos cartões-postais do Litoral Norte de São Paulo. Considerada a maior ilha marítima do Brasil (com 130 km de costa e 42 praias) é reconhecida como a Capital Nacional da Vela. À noite, os cerca de 150 mil visitantes/mês que chegam à ilha na alta temporada (de dezembro a fevereiro), encontram-se no centro da cidade, conhecido carinhosamente como "Vila". Ali, não deixe de visitar a Igreja Matriz de Nossa Senhora D´Ajuda e Bom Sucesso (Praça Professor Alfredo Oleani, s/nº, centro) , construída no final do século 16.

Canal de São Sebastião durante a Semana Internacional de Vela de Ilhabela
Ronald Kraag
Canal de São Sebastião durante a Semana Internacional de Vela de Ilhabela

Muitas praias de Ilhabela merecem a visita, como a Praia dos Castelhanos, a maior do arquipélago (chega-se a essa praia por uma estrada de terra com 22 km de extensão, que atravessa a Ilha de São Sebastião de Oeste a Leste. Várias agências de turismo fazem o passeio com veículos tipo Jipe) . Há ainda a Praia do Jabaquara (distante 16 km da Vila) . Com areias claras e cerca de 300 metros de extensão, é cortada por dois cristalinos riachos. Já a Praia da Armação (distante cerca de 14 km da balsa na direção Norte) abriga uma igrejinha e uma comunidade de pescadores. Tem esse nome porque no local eram desossadas as baleias cujo óleo era utilizado na iluminação e na construção civil. Atualmente é um dos pontos dos praticantes do windsurfe e do kitesurfe.

De volta ao continente, a próxima parada é Caraguatatuba e suas 17 praias. A Martin de Sá (Avenida Dr. Aldino Schiavi) , próxima ao centro, é a mais badalada e a preferida dos jovens. No entanto, suas ondas fortes não são aconselháveis para as crianças. Prainha, Mococa, Cocanha e Indaiá são as mais indicadas para elas. De tombo, Massaguaçu é ideal para a pesca.

Praia da Cocanha, em Caraguatatuba
Divulgação/ Gianni D'Angelo/PMC
Praia da Cocanha, em Caraguatatuba

A cidade também tem bons restaurantes e uma culinária rica e saborosa. Tanto que Caraguá investe nos festivais gastronômicos como o Festival do Camarão (junho), o Festival da Tainha (julho), o Caraguá a Gosto (agosto) e o Festival do Mexilhão (novembro).

Para quem aprecia a natureza, um passeio legal é visitar o Núcleo Caraguatatuba do Parque Estadual da Serra do Mar (siga pela pela rodovia dos Tamoios (SP-99) na direção de Caraguatatuba. No km 80, as placas de sinalização indicam, à esquerda, a entrada para o Núcleo. Mais 700 m em estrada de terra e chega-se na sede do Núcleo) , com 88 mil hectares. A maior porção contínua preservada de mata atlântica do Brasil.

Veja também:
- Aproveite o Rio de Janeiro
- Paraty tem história e natureza

O Morro Santo Antônio, com 325 metros de altura também oferece uma vista privilegiada de toda a enseada. Há uma plataforma de vôo para quem salta de asa delta e parapente. (O acesso ao Morro Santo Antônio é feito pela Estrada da Serraria, bairro Sumaré. A estrada é de terra).

Mirante Almada em Ubatuba
Divulgação/ Geraldo Zanotto
Mirante Almada em Ubatuba

De Caraguatatuba chega-se rapidamente à vizinha Ubatuba . A cidade reserva uma série de passeios interessantes para a família, entre eles o Aquário municipal (Rua Guarany, 859, Itaguá, tel: (12) 3834-1382, 
ingressos de R$ 7,50 a R$ 15,
crianças até 5 anos não pagam) . Com o primeiro tanque de águas vivas do Brasil, possui tanque oceânico com tubarões e raias, pinguinário e area onde o visitante pode tocar e aprender acerca da biologia de animais marinhos inofensivos como raias, lagostas e estrelas do mar.

Outro ponto alto da cidade é o Projeto Tartarugas Marinhas – TAMAR , criado em 1980 para proteger da extinção as cinco espécies de tartarugas que utilizam o litoral brasileiro para alimentação e se reprodução.
Os visitantes são atendidos por monitores especialmente treinados. (Rua Antonio Atanázio, 273, Jardim Paula Nobre, Ubatuba, domingo à quinta-feira, das 10h às 18h; sexta, sábados e feriados, das 10 às 20 horas, tel: (12) 3832-6202) .

Ubatuba tem ainda alguns dos melhores pontos de mergulho do Litoral Norte, com águas calmas, claras e de temperatura agradável para mergulho livre ou com cilindro. Entre os pontos de destaque estão as Ilhas Anchieta e Vitória.

Outra dica interessante é a Feira de Artesanato de Ubatuba, que acontece todas as noites, no final da Av. Iperoig, no calçadão à beira da Praia do Cruzeiro. Há várias barracas de artistas expondo e comercializando seus trabalhos (Avenida Iperoig, nº final, centro) .

Vista do complexo histórico de Paraty
Divulgação/ Luciana Matos
Vista do complexo histórico de Paraty

Saindo de Ubatuba alcançamos um dos pontos altos do trajeto rumo ao Rio de Janeiro: a encantadora cidade de Paraty . Patrimônio Histórico Nacional desde 1966 o Centro Histórico da cidade remonta os idos de 1820, quando suas ruas já tinham calçamento "pé de moleque". A presença das águas, com a invasão das marés na lua cheia, a cultura do café e da cana, o porto e seus piratas, e a maçonaria determinaram o traçado das ruas e casas, consideradas pela UNESCO como "o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso".

Não deixe de visitar a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios (Praça da Matriz, s/n) , antiga capela em estilo neoclássico construída em 1873, que deu origem ao povoado, e a barroca Igreja de Santa Rita dos Pardos Libertos (Largo de Santa Rita, s/n) cartão-postal da cidade. Erguida com pedra e cal em 1722, de frente para o mar, hoje abriga o Museu de Arte Sacra . Visite ainda a Casa da Cultura (Rua Dona Geralda, 177, tel: (24) 3371-2325) , em cujo casarão com fachada que se debruça sobre a esquina tem exposição permanente sobre a cidade.

Também:
- Beach clubs para curtir o verão
- 30 praias para curtir o verão

Ao contrário das demais cidades, as praias de Paraty ficam afastadas do centro e a melhor maneira de conhecê-las é fazendo um passeio de barco, incluindo as ilhas da região. Um dos roteiros mais conhecidos é o que leva às ilhas Duas Irmãs, Comprida, Araújo, Rasa, Algodão e Catimbau, e às praias Vermelha e da Lula. Quem busca praias desertas deve optar pelo passeio que segue para Saco do Mamanguá, Cajaíba, Martim de Sá e Ponta Negra.

Paraty é ainda famosa por seus festivais: 50 dias depois da Páscoa, acontece a Festa do Divino; no último final de semana de agosto, o Festival da Cachaça; entre julho e agosto, a Festa Literária Internacional (Flip); e em setembro, o Paraty em Foco – Festival Internacional de Fotografia.

Ilha Botinas, Angra dos Reis
Marco Terranova
Ilha Botinas, Angra dos Reis

Partindo de Paraty, chegamos a Angra dos Reis , uma cidade divida em cinco corredores turísticos: Centro, Ilha Grande, Ponta Leste, Ponta Sul e Estrada do Contorno. Todos espalhados por suas 365 ilhas e cerca de 2 mil praias. Antes de pegar o barco, faça uma pausa para conhecer o centro histórico e sua arquitetura colonial.

Entre os lugares mais badalados estão a praia do Dentista (na Ilha da Gipóia, segunda maior de Angra e a 30 minutos do centro) e Ilha Grande, com 192 km, 106 praias, cachoeiras e montanhas. Uma das praias mais bonitas é a de Lopes Mendes. A Vila do Abraão concentra o maior número de pousadas restaurantes e outros serviços turísticos. Trilhas com rios e cachoeiras em meio à mata Atlântica levam às enseadas. De barco, chega-se à Lagoa Azul, aquário natural e um dos cartões-postais da região em função da transparência das águas e da quantidade de peixes coloridos e estrelas-do-mar.

Para quem curte um esporte aquático, Angra foi contemplada com uma diversificada e colorida vida marinha, o que faz da região um dos melhores pontos de mergulho do País.

A vida noturna na região de Angra é das mais animadas. No verão, preste atenção às inúmeras festas que acontecem em muitas das ilhas e no continente.

Baía de Guanabara, Rio de Janeiro
RioTur Divulgação
Baía de Guanabara, Rio de Janeiro

A última parada é a capital fluminense, verdadeiro cartão-postal do Brasil. Entre os passeios clássicos no Rio de Janeiro , impossível não citar o Cristo Redentor , eleito pelos cariocas como a “Maravilha do Rio”. O monumento fica no alto do morro do Corcovado, a 700 m de altitude, onde um mirante panorâmico descortina grande parte da cidade. Para chegar lá em cima há duas maneiras: de carro ou de trem. O acesso de automóvel é complicado em função da falta de vagas de estacionamento e excesso de flanelinhas. Prefira ir de trem – o percurso tem 3.800 m em meio a jardins temáticos e a viagem dura cerca de 20 minutos (Rua Cosme Velho, 513, tel. (21) 2558-1329, R$ 44, adulto; R$ 22, crianças de 6 a 12 anos) .

A visita parada obrigatória para quem vai pela primeira vez à cidade é o Pão de Açúcar . A aventura tem início com a viagem de bondinho, um teleférico envidraçado que apresenta detalhes e ângulos únicos da cidade. A primeira parada é no Morro da Urca, a 220 m de altitude. Dali, avista-se a Baía de Guanabara e a Enseada de Botafogo. Na segunda e última parada, o visual panorâmico apresenta, além da baía, grande parte da orla da Zona Sul e de Niterói. No verão, vale a pena subir ao Pão de Açúcar no final do dia para curtir o pôr-do-sol ou à noite, para ver as luzes da cidade (Rua Pasteur, 520, (21) 2546-8400, R$ 53, adulto; R$ 26 crianças de 6 a 12 anos) .

Veja ainda:
- 19 praias que valem uma caminhada
- Praias para curtir o verão em família

Jardim Botânico, Rio de Janeiro
RioTur Divulgação
Jardim Botânico, Rio de Janeiro

Depois, sinta-se como um autêntico carioca e circule pelas praias mais famosas: Copacabana, Ipanema, Leblon, Arpoador e Barra da Tijuca. Passeie pelos calçadões, admire a vista e ande de bicicleta pelas ciclovias. Aproveitar o fim de tarde em algum quiosque localizado na Lagoa Rodrigo de Freitas também é uma boa pedida. Se sobrar um tempo, visite o Jardim Botânico . Criado em 1808 por D. João VI para aclimatar as espécies vindas das Índias Orientais, é um local de rara beleza para apreciar a flora tropical (Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, Rio de Janeiro, Tel: (21) 3874-1808) .

*Valores apurados em agosto de 2012.

Veja também:

- Onde ficar
- Onde comer
- Vale a pena parar
- Prepare-se para a viagem

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.