Região de Rio Quente, em Goiás, oferece praias artificiais, parques aquáticos e turismo de aventura para aproveitar em família

Localizada no interior de Goiás, Rio Quente é uma cidade conhecida por suas piscinas naturais de água quente e por seus grandiosos parques aquáticos que, em 1998, justificaram sua emancipação de Caldas Novas, município a 30 km de distância. Com atividades que proporcionam o equilíbrio perfeito entre adrenalina e descanso, é um bom destino para as férias escolares que se aproximam: enquanto os pais relaxam, os as crianças gastam toda sua energia sem exigir grandes deslocamentos.

“Enquanto os pais relaxam nas piscinas naturais de água quente, as crianças têm uma área reservada para elas, com monitores e salva-vidas”, diz Manoel Carlos Cardoso, diretor de experiência marketing e vendas do Hot Park, um dos mais procurados pelos visitantes.

Leia também: Nova atração agita as férias no Hot Park

Rio Quente é opção de destino para as férias escolares de julho
Juliana Moraes
Rio Quente é opção de destino para as férias escolares de julho

Com clima tropical – quente e úmido o ano todo, com média anual de 24° C – a região tem como principal atração as águas termais que brotam naturalmente da terra próxima à serra. O maior e mais antigo grupo a explorar o atrativo é o Rio Quente Resorts, complexo que conta com sete hotéis e três parques – Hot Park, Parque das Fontes e Praia do Cerrado, com opções de piscinas com ondas, piscinas infantis, corredeiras artificiais e quedas d’água. Todos com água quente com temperatura média de 37, 5°.

Dentre as 25 atrações só do Hot Park, é possível aventurar-se no recém-inaugurado Xpirado – um toboágua com queda de 32 metros de altura, 146 metros de comprimento e descida de 30 km/h –, no rapel de 17 metros dentro de uma cachoeira e na tirolesa de 90 metros de comprimento, que atinge até 40 km/h. Há ainda atividades de mergulho (pago a parte), caiaque, arvorismo, trilhas e diversos toboáguas. 

Mais:  Roteiros alternativos em Brasília

Ambiente do Rio Quente Resorts é todo temático
Juliana Moraes
Ambiente do Rio Quente Resorts é todo temático
A experiência pode ser amplificada durante a visita ao “Bird Land”, um viveiro com capacidade para receber duas mil aves vítimas de maus tratos, resgatadas pelo Ibama. Ali, uma equipe de biólogos cuida da alimentação e da recuperação de tucanos, araras e outras espécies de aves, além, de macacos e veados. 

Com o ingresso para o Hot Park, a pessoa também tem acesso livre à Praia do Cerrado, onde se pode fazer aula de surfe e, assim como no litoral, encontrar uma feirinha para a venda de cangas, chaveiros, roupas de praia e tatuagens temporárias. "A praia mais próxima da região fica a 1,2 mil km daqui. Então, importamos coqueiros da Bahia, encomendamos areia de pó de cristal e fizemos uma piscina com onda e, lógico, água quente", diz Cardoso.  Há ainda a opção de futebol de areia, vôlei/futevôlei de praia e, à noite, para os mais festeiros, baladas. 

Para aproveitá-los, não e preciso estar hospedado no complexo. É possível ficar nos demais hotéis e campings da região e passar o dia nos parques aquáticos. O ingresso aos parques custa R$ 95 e dá direito a brincar das 9h às 17h. 

Descanse com segurança

O medo de deixar as crianças soltas pelos parques do Rio Quente Resorts, segundo Manoel, pode ser deixado de lado pelos pais. "Temos atividades o dia inteiro. Então, se os pais quiserem um período de folga, é só deixar as crianças (a partir dos 4 anos) com os monitores e os jovens nos brinquedos radicais”, afirma o executivo Cardoso. “Os pais, com certeza, vão querer relaxar na água quente, que é uma experiência única para toda a família”, completa.

Tanque com piranhas de verdade tenta deixar brincadeira mais real
Juliana Moraes
Tanque com piranhas de verdade tenta deixar brincadeira mais real

Na cidade

De acordo com Emerson Fernandes, Secretário Municipal de Desporto e Lazer de Rio Quente, além de parques, praça esportiva, campo de futebol e ginásio de esportes, o município ainda oferece atividades esportivas e ecológicas aos turistas, como passeios com trilhas a pé e de bicicleta, para explorar o meio ambiente acompanhado por instrutores preparados para mostrar a beleza e a história local.

Entre eles está o Parque Estadual da Serra de Calda, estruturado para receber turistas em 1999. Com duas trilhas de níveis médio e intermediário – Cascatinha e Paredão – ao longo de seus 123 quilômetros quadrados de extensão, o parque possibilita aos aventureiros (devidamente acompanhado por guias licenciados) conhecem as belezas da flora e da fauna do cerrado brasileiro enquanto caminham por cerca de uma hora e meia até as cachoeiras e aos mirantes com mais de mil metros de altitude. 

“Queremos que as pessoas aprendam a lidar e preservar a natureza", explica ele. Antes de abrir as trilhas aos turistas foi elaborado um estudo de quase 30 anos para descobrir um meio seguro de explorar turisticamente a região sem afetar o lençol termal.

À noite, a cidade oferece bares, lanchonetes, restaurantes, pizzarias, lojas e mercados no bairro Esplanada. 

* A repórter viajou a convite do Rio Quente Resorts

Leia também:
- Espetáculo de cores no Pantanal 
- Jalapão: uma ecoaventura no cerrado
- Os tesouros da Chapada Diamantina

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo  Twitter

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.