Vencer os 2.993 m de altitude do Pico da Neblina exige 10 dias de aventuras pela selva amazônica

Com quase três mil metros de altitude, o Pico da Neblina fica próximo à fronteira com Colômbia e Venezuela
Agência Estado
Com quase três mil metros de altitude, o Pico da Neblina fica próximo à fronteira com Colômbia e Venezuela
O título de “topo do Brasil” faz desse pico o destino mais nobre do País. Com quase três mil metros de altitude, o Pico da Neblina, próximo à fronteira com Colômbia e Venezuela, intimida e é para poucos. Não é a toa que até hoje somente 300 aventureiros conseguiram chegar ao topo.

Para encará-lo é necessário no mínimo 10 dias de aventuras pela selva amazônica , incluindo viagens de avião e barco antes de se chegar ao Igarapé do Tucano, onde começa a trilha em mata fechada. No trajeto, além de muitas subidas e descidas, algumas só possíveis de serem vencidas com a ajuda de cordas, o visitante tem o prazer de estar no meio da flora e fauna mais rica do planeta. Acordar ao som de periquitos, picaparras e pica-paus é, simplesmente, emocionante.

- Leia também:
Desbrave o Monte Roraima
Nas alturas do Pico da Bandeira
Encare o Pico das Agulhas Negras

Os pernoites são feitos em pequenos acampamentos improvisados na mata. Dormir em redes é mais prático do que em barracas, por causa do espaço e do peso do equipamento. Nesse caso, é bom levar também lona, para se proteger da chuva, muito constante na mata, e mosquiteiro, já que os mosquitos são fieis companheiros dos caminhantes. Repelente é indispensável.

Mas, tudo é recompensado com a chegada ao topo. Estar no ponto culminante do Brasil já é emocionante por si só, mas ter como vista a maior floresta do planeta de um lugar privilegiado é ainda mais gratificante.

Claro que, como o nome já diz, o pico é cercado por muita neblina. A vista para a floresta só é possível muito cedo ou no final da tarde, o que exige um pernoite no topo. Quem ainda tem pique, pode seguir por mais uma hora de trilha e alcançar o topo do segundo ponto mais alto do País, o Pico 31 de Março, com 2.972 metros de altitude.

Topo do Pico da Neblina só foi alcançado por aproximadamente 300 aventureiros
Divulgação
Topo do Pico da Neblina só foi alcançado por aproximadamente 300 aventureiros
Como chegar: Em Manaus, é preciso viajar de avião (3 horas) ou barco (3 dias) até São Gabriel da Cachoeira, distante 850 km. De lá, é preciso contratar um veículo 4x4 para percorrer 85 km em estrada de terra até Cucuí, onde um barco viaja por dois dias até o Igarapé do Tucano, onde começa a trilha.
Tempo: de 10 a 15 dias
Nível de dificuldade: Alto
Infraestrutura para turistas: Em São Gabriel da Cachoeira há pousadas bem simples para acomodar os turistas antes ou depois da caminhada ao Pico da Neblina. Depois disso, os pernoites só são possíveis em acampamentos improvisados em pequenas áreas desmatadas no meio da mata. Nos dois primeiros dias de barco, antes da trilha, uma boa dica é pernoitar em um posto da Funai conhecido como “Pedra”. Toda a alimentação e equipamento de cozinha de camping precisam ser levados, pois não há nenhuma estrutura para providenciar a comida dos aventureiros. Serviços de apoio em caso de acidentes também não existem. A trilha só pode ser feita com o acompanhamento de um guia autorizado pelo ICMBio.
Cidades de apoio: São Gabriel da Cachoeira, AM
Dicas: Antes de fazer a trilha é preciso solicitar autorização do ICMBio em São Gabriel da Cachoeira (tel: 97 3471-1617 / 3638-3495). A autorização pode levar alguns meses. Então, não deixe para última hora. No trajeto, os visitantes passam bem próximos de aldeias ianomâmis e tucanos. Para visita-las é obrigatório ter autorização da Funai (tel: 97 3471-1187).

- Voltar à matéria principal

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.