O melhor da cidade do Panamá

Por Danielle Nordi, do Panamá |

Texto

Famoso pelo canal de mesmo nome, país proporciona agitação, história e boas compras

Programas tão diferentes quando idas ao cassino, fazer um pequeno percurso de barco pelo canal do Panamá ou visitar uma tribo indígena convivem sem atritos neste pequeno país da América Central que adotou o dólar americano como moeda e fala inglês com bastante fluência.

Mais famoso pelo canal do que por qualquer outra atração, o Panamá tenta diversificar as opções turísticas para atrair visitantes do mundo todo dispostos a contribuir para a sua já acelerada revitalização. O lugar é praticamente um canteiro de obras e já foi muito mais. Desde 1999, quando os panamenhos conseguiram recuperar o canal do Panamá, que estava em poder dos americanos, o país parece ter desenvolvido o equivalente a quase um século em pouco mais de 10 anos.

Getty Images
Muitas das atrações turísticas no Panamá giram em torno de seu famoso canal
Do Caribe para o Pacífico
Sem dúvida o passeio de mais apelo aos viajantes é a travessia de barco no Canal do Panamá. Depois de fazer o registro na Ilha Flamenco, os turistas seguem de ônibus para a entrada do canal, que liga o mar do Caribe ao oceano Pacífico.

Duas empresas fazem esse passeio: Canal Bay Tours e Panama Marine Adventures. É aconselhável que o turista verifique dias e horários disponíveis com antecedência já que as vagas são limitadas. Uma vez por mês é oferecido um passeio de oceano a oceano.

O passeio consiste em atravessar duas das três eclusas que fazem parte do canal. Na de Pedro Miguel o nível da água desce 10 metros. Logo depois chega a eclusa de Miraflores, dividida em duas partes. A primeira desce mais 10 metros e a segunda, seis metros. Cada etapa dura, em média, sete minutos. O passeio dura cerca de duas horas e meia, sem contar deslocamentos.

Antes de voltar ao hotel, ainda é possível circular pelas antigas vilas militares dos americanos, logo ao lado das eclusas, hoje transformadas em bairros civis.

“Casco viejo”

Getty Images
Catedral Metropolitana do Panamá fica na charmosa parte velha da cidade
Conhecer a parte murada da cidade do Panamá, ou “casco viejo” como é conhecida localmente, é obrigatório. Ali, muitas casas estão sendo restauradas, mas outras muito mal conservadas mostram um pouco da história de decadência e o atual esforço de revitalização do país.

O local destoa do restante da cidade. Suas ruas estreitas mostram elegantes e floridas varandas, e lindas construções como a Catedral Metropolitana com sua inconfundível influência espanhola. Logo depois o visitante pode ir rumo às ruínas, conhecidas como Panamá La Vieja, local que foi destruído pelo pirata Henry Morgan em 1671 e abriga um interessante sítio arqueológico. O tour termina na parte moderna da cidade onde os turistas podem admirar a enorme quantidade de altos (e novo) edifícios construídos beirando o mar.

Panamá tenta diversificar opções turísticas para atrair visitantes do mundo todo. Foto: Getty ImagesO belo canal do Panamá à noite. Foto: Getty ImagesPublicidadeVista dos prédios do Panamá a partir de "Casco Viejo", parte antiga da cidade. Foto: Getty ImagesTeatro Nacional, em "Casco Viejo", parte murada da cidade. Foto: Getty ImagesDesde 1999, panamenhos recuperam o canal do Panamá e seu entorno. Foto: Getty ImagesShopping Multicentro é um dos mais populares do Panamá. Foto: Divulgação

Índios
Quem quiser um pouco mais de contato com a natureza, sem partir rumo às ilhas, pode aproveitar para tomar um banho de cachoeira durante a visita à aldeia dos índios Embera, que vivem do artesanato e do turismo.

O passeio começa descendo o rio em uma canoa indígena por aproximadamente trinta minutos. Depois são outros vinte minutos de caminhada exigente até a cachoeira. Um rápido mergulho e já é hora de ir visitar a tribo.

Danças indígenas e barracas de artesanato marcam a segunda parte do programa. Logo depois da chegada dos turistas, o almoço é oferecido: um pedaço de peixe frito e patacones, que são fatias de banana amassadas e fritas. Depois de um rápido tour pelas casas feitas de palha já é hora de voltar para a cidade. A viagem dura mais de duas horas de carro.

Compras

Flickr/roger4336
A Zona Livre de Colón é uma boa opção para quem quer comprar em atacado
Muitos turistas reservam pelo menos um dia da visita ao Panamá para conhecer os grandes centros de compras, que rivalizam com Miami. O ideal é optar por apenas um local e passar o restante do dia lá. Os shoppings são grandes e com muitas lojas a serem percorridas. Apenas o gigante Albrook Mall tem mais de 500 opções.

- Leia também: Jogue-se nas compras no Panamá

Os que estiverem interessados em fazer compras no atacado deverão reservar um dia todo para conseguir visitar a Zona Livre de Colón, conhecida pela quantidade de comerciantes e a ausência da cobrança do imposto de 7% que todos pagam nas lojas fora da região.

Para terminar a viagem com boas recordações gastronômicas, o visitante pode provar o menu degustação do ótimo Manolo Caracol que traz um toque oriental aos cardápios dominados por peixes e frutos do mar. Mas vá preparado, já que o jantar pode se alongar por mais de três horas.
 

 

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter

 

 



 

 

Leia tudo sobre: panamácanal do panamáilha flamenco
Texto

notícias relacionadas