Região do Meatpacking concentra grifes de luxo, restaurantes e hotéis descolados

O High Line Park surgiu em uma ferrovia suspensa desativada, no sul de Manhattan
Getty Images
O High Line Park surgiu em uma ferrovia suspensa desativada, no sul de Manhattan
Menos de uma dezena de quarteirões e muitas histórias ajudam a entender a transformação que a cidade de Nova York passou nas últimas duas décadas. Batizada de Meatpacking, justamente por concentrar abatedouros e frigoríficos desde o começo do século 20, a região é hoje o maior símbolo da revitalização da zona portuária do rio Hudson , e, por consequência, das antigas áreas degradadas da cidade. A badalação recente decorre pela criação do High Line Park , um parque suspenso instalado na antiga via férrea do bairro.

Mas, as ruas do Meatpacking têm muito mais a oferecer para os turistas. Para quem vem à cidade com o objetivo de fazer compras , a região é tão atraente quanto a 5ª Avenida. Nomes como Diane von Furstenberg, Hugo Boss, Alexander McQueen, Christian Louboutin, Stella McCartney, Apple, entre tantos outros, compõem uma lista de mais de 60 grifes instaladas nas onze ruas que formam a área.

A área abandonada da cidade foi transformada em um charmoso e concorrido parque urbano
Getty Images
A área abandonada da cidade foi transformada em um charmoso e concorrido parque urbano
Uma das marcas presentes por ali é bastante conhecida do público brasileiro, a do estilista Carlos Miele. Inaugurada em 2003, a unidade foi a primeira de Miele fora do Brasil. O estilista, que tem Sarah Jessica Parker , Angélica e Rihanna entre as celebridades que usam seus vestidos, diz que quando decidiu abrir sua loja em NY buscava por um novo lugar na cidade. “No Meatpacking District, encontrei isso e uma bela vista do Rio Hudson ", afirmou Miele, antes de ressaltar que a região ainda não contava com a badalação que hoje a coloca entre as principais atrações turísticas da cidade.

A percepção de Miele vai de encontro ao boom imobiliário iniciado no fim dos anos 90. Com apoio de investidores, designers renomados migraram para o Meatpacking e deram o pontapé inicial para a grande transformação da região.

Região ao redor do High Line Park conta com boas opções de compras
Guilherme Manechini
Região ao redor do High Line Park conta com boas opções de compras
A partir da transformação dos espaços industriais em comerciais, começou-se a repensar o uso da linha de trem suspensa, há muito desativada. Com o apoio dos comerciantes e moradores locais, Robert Hammond e Joshua David lançaram a ideia de transformá-la em um parque, ou jardim suspenso. Hoje, passados pouco mais de dez anos do lançamento do projeto piloto, o High Line Park bate recorde de visitantes: mais de 300 mil pessoas nas duas primeiras semanas do verão deste ano.

“O parque virou realmente uma área de escape da cidade. As pessoas vêm em busca de tranquilidade”, afirma Hammond, após apresentação da terceira fase do projeto, agora em discussão pela prefeitura. A seu ver, o impacto econômico na região do High Line Park , que compreende também o bairro do Chelsea, foi superior a US$ 3 bilhões.

Com tal transformação urbanística, o tour pelas ruas do Meatpacking fica ainda mais interessante. Há prédios de alto padrão, lojas de grife, parque e restaurantes contrastando com os antigos e mal conservados galpões, alguns ainda funcionando como frigoríficos.

Onde ir

Hotel Standard tem danceteria e chopperia no vão do High Line Park
Guilherme Manechini
Hotel Standard tem danceteria e chopperia no vão do High Line Park
Em um destes galpões, aliás, está o Cielo Club , perfeito para quem busca diversão com muita música eletrônica e gente descolada. Outra dica para os baladeiros é o Standard Hotel : conta com chopperia e restaurante no vão do High Line Park , além de uma das boas danceterias da cidade, a Le Bain , na cobertura do prédio, com vista para o rio Hudson. O mesmo acontece há duas quadras dali, no Hotel Gansevoort . Alguns pubs e bares com áreas ao ar livre também completam o leque de opções noturnas do Meatpacking.

Para comer, os visitantes podem escolher um entre os mais de 50 restaurantes da região. Pastis, Chelsea Market, La Gazzetta, Fig & Olive e STK são alguns nomes com garantia de ótima gastronomia. De quebra você ainda pode fazer a digestão com uma caminhada pelo High Line Park.

Como chegar

Para chegar até lá, o visitante que estiver em Nova York conta com diversas opções de transporte, com linhas de metrô e ônibus. Quem optar por um táxi não precisa se preocupar, pois todos saberão chegar ao destino. Basta ir para o lado Oeste de Manhattan, na altura da rua 14, entre a oitava e nona avenida.

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.