Confira cinco templos religiosos pelo mundo que se tornaram símbolos de sua cidade

selo

Mais do que símbolos católicos e ortodoxos, há igrejas que se tornaram ícones graças a construções centenárias, sincretismo ou, simplesmente, por sua beleza.

- Vila Velha (Espírito Santo)

Convento de Nossa Senhora da Penha é o cartão-postal de Vila Velha
AE
Convento de Nossa Senhora da Penha é o cartão-postal de Vila Velha
Foram anos e anos de reformas, ampliações, anexos. Desde a construção da primeira capela, em 1562, até o século 19, o Convento da Penha passou por inúmeras modificações. Hoje, trata-se do cartão-postal de Vila Velha, no Espírito Santo, de onde se tem a mais bela vista da cidade. Ao entrar, vá direto à Capela-mor, toda revestida de cedro, entalhada pelo escultor português José Fernandes Pereira entre 1874 e 1879. No altar, a imagem da Virgem da Penha data de 1569, trazida de Portugal para a primeira capela construída ali. Peregrinos sobem os 124 metros do morro até o convento pela chamada Ladeira da Penitência - cujo calçamento irregular é um desafio extra aos fiéis.

Leia também: Praias calmas e boa mesa em Vitória

- Novogrudok (Bielorússia)

Fundada em 1044, Novogrudok, a 155 quilômetros de Minsk, capital bielo-russa, tem como destaque construções e ruínas medievais. Apesar de pequena, a cidade conta com pelo menos dez igrejas ortodoxas - como a Catedral. Uma curiosidade: apenas uma rua a separa de uma igreja católica.

- Sevilha (Espanha)

Catedral de Sevilha foi construída entre os séculos 13 e 16
Getty Images
Catedral de Sevilha foi construída entre os séculos 13 e 16
A Giralda, torre de janelas mouriscas erguida no século 12, foi tudo o que sobrou da antiga mesquita. Patrimônio da Humanidade, a Catedral de Sevilha foi construída entre os séculos 13 e 16. O suposto túmulo de Cristóvão Colombo está na área interna - você vai localizar facilmente a multidão de turistas observando o monumento em homenagem ao navegador. Antes de sair, visite o Pátio das Laranjeiras e, se tiver fôlego, suba ao alto da Giralda para uma bela panorâmica da cidade.

Leia também: Muito churros com chocolate em Madri

- Praga (República Checa)

Sete séculos foram necessários para terminar a construção da majestosa Catedral de São Vito, dentro do Castelo de Praga, cuja pedra fundamental foi lançada em 1344 pelo rei Carlos IV (a consagração foi em 1929). Suas torres de estilo gótico são onipresentes na paisagem da capital checa. Entre rebuscadas capelas e detalhes góticos e barrocos, o que mais chama a atenção são os coloridos vitrais, que banham a nave quando iluminados pelo sol. O artista art nouveau Alfons Mucha deixou o seu, na terceira capela do lado norte, que retrata a vida dos santos Cirilo e Metódio.

- Copacabana (Bolívia)

Catedral de Nossa Senhora de Copacabana fica às margens do Lago Titicaca
Getty Images
Catedral de Nossa Senhora de Copacabana fica às margens do Lago Titicaca
Paredes brancas e um amplo pátio, bem ao estilo andaluz, marcam a igreja de Nossa Senhora de Copacabana, às margens do Lago Titicaca, na Bolívia. Erguida no século 16, a igreja reflete o sincretismo católico e andino, com lendas que unem as duas crenças esculpidas em madeira, na porta principal, pelo inca Francisco Tito Yupanque. A santa de pele escura que dá nome à basílica não fica no altar principal, mas em uma capela no piso superior, de modo que esteja sempre voltada para o lago. Na imagem, o sol, sempre venerado pela cultura inca, se transformou na coroa, enquanto a lua fica nos pés da santa.


Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.