Ver as folhas mudarem de cor no Hudson River Valley é um programa imperdível para quem visita Nova York

Vale do Hudson conta com mais de 50 tipos de árvores que mudam de cor no outono
Thinkstock/Getty Images
Vale do Hudson conta com mais de 50 tipos de árvores que mudam de cor no outono
Assim como os nova-iorquinos vão aos Hamptons curtir uma praia no verão, eles se dirigem ao Hudson River Valley para ver as árvores mudarem de cor no outono, em um espetáculo conhecido como fall foliage. O vale, a duas horas de carro ao norte de Manhattan, conta com mais de 50 tipos de árvores como carvalhos, pinheiros, nogueiras, vidoeiros e bordos (ou maples, em inglês) e suas folhas passam de verde para vermelho, amarelo, laranja e marrom.

O espetáculo é festejado com diversas festas nas cidadezinhas bucólicas da região e para nós, brasileiros, é uma oportunidade extraordinária. Se tiver com viagem marcada para Nova York, reserve o fim de semana para assistir ao espetáculo da natureza no Hudson Valley.

Como chegar

A viagem pode ser feita de carro ou de trem: pegue a linha Amtrack até a pequena cidade histórica de Hudson e alugue um carro ou tome um taxi até o hotel (veja sugestões de hospedagem abaixo). Ao contrário de Manhattan, não há plataformas na estação. De bagagem na mão, desça a escadinha do trem até os pedregulhos do chão, ouça a fumaça e os compressores do trem, e imagine como a elite nova-iorquina e suas famílias viajavam no início do século passado.

Uma viagem no tempo

Hudson seria a capital do estado de Nova York se não tivesse perdido a eleição por apenas um voto para Albany. No início de 1900, a indústria siderúrgica, pesqueira e da construção naval abandonou o vale e congelou o desenvolvimento da região. Hoje, as cidadezinhas locais tiram vantagem de sua arquitetura antiga para atrair turismo e o antiquariado. Quanto mais perto do rio, mais se viaja no tempo: das casas em estilo vitoriano na cidade àquelas em estilo Nantucket construídas no século 18 na beira do rio. 

Destino Gourmet

Uma onda de restaurantes sofisticados contribui ainda mais para o charme dessa viagem. Eles se dizem orgânicos, sustentáveis e “locavoro” – usam apenas ingredientes frescos da estação produzidos pelas fazendas locais. A região conta com as terras mais férteis do noroeste americano.

A arquiteta Linda Gatter e o consultor Max Dannis, por exemplo, se formaram no MIT, mas deixaram a agitação da cidade grande para abrir o restaurante Local 111, em Philmont. A idéia era criar um lugar que fosse ao mesmo tempo simples, acessível e sofisticado. Eles reformaram um antigo posto de gasolina no meio da cidade em um ambiente confortável com uma grande pintura na parede, um ventilador original e uma propaganda de Coca Cola de 1940.

Para tomar um Herminia Tempranillo ou outros tintos deliciosos experimente o P.M. Wine Bar, em Hudson. A seleção de vinhos é séria mas o ambiente é bem informal. Os locais dizem que é por causa da personalidade dos donos, Mario Pollan e Kevin Moran. Pollan é cubano, divertido e tranqüilo, e Moran é amigável e contador de histórias. Prove também o tinto Hacienda Monasterio, os brancos Burganes Albarino e Martinsancho Verdejo e os espumantes Raventos Cava e Damas Gassac Rose.

Além dos bares e restaurantes, explore as lojinhas e galerias da região. Uma das mais populares é a galeria Carrie Haddad Photographs, inaugurada em 1991, onde é possível encontrar fotografias da década de 60 até contemporâneas como a natureza morta de David Halliday – em cartaz até 7 de novembro.

Nos arredores do vale

Germantown: pequena vila há apenas meia hora de Hudson
ilovememphis / Flickr
Germantown: pequena vila há apenas meia hora de Hudson

Há apenas meia hora de Hudson, está Cheviot Landing, em Germantown . A vila se abre para o rio onde a paisagem é dramática. A água contrasta com as nuvens tentando ultrapassar os picos das montanhas de Catskills. Não esqueça a máquina fotográfica. Outras cidadezinhas que valem a pena são Red Hook e Tivoli, com seus estudantes da Bard College, Philmont, Hillsdale e a tranqüila Athens, do outro lado do rio.

Para saber mais sobre a região, dê uma olhada no guia Escape to New York’s Hudson Valley, de Gary Shteyngart, publicado em setembro de 2010, e visite o site para atividades semanais.

HOTÉIS:

Athens Hotel at the Stewart House
2 N. Water St., Athens
tel.: 518-945-1357
Quartos a partir de US$ 149

Country Squire B&B
251 Allen St., Hudson
Tel.: 518-822-9229
A partir de US$ 160 com café da manhã

The Kaaterskill

424 High Falls Rd. Ext., Catskill
Tel.: 518-678-0026
A partir de US$ 175

Madalin Hotel & Madalin’s Table
53 Broadway, Tivoli
Tel.: 845-757-2100
A partir de US$ 199 com café da manhã

Mount Merino Manor B&B
4317 Rte. 23, Hudson
Tel.: 518-828-5583
A partir de US$ 175 com café da manhã

RESTAURANTES:

Café at Hudson Supermarket
310 Warren St., Hudson
Tel.: 518-822-0028
Almoço para duas pessoas US$ 50

DA/BA

225 Warren St., Hudson
Tel.: 518-249-4631
Jantar para duas pessoas US$ 80

Local 111
111 Main St., Philmont
Tel.: 518-672-7801
Jantar para duas pessoas US$ 80

Mercato
61 E. Market St., Red Hook
Tel.: 845-758-5879
Jantar para duas pessoas US$ 74

P.M. Wine Bar
119 Warren St., Hudson
Tel.: 518-828-2833
Tapas para duas pessoas US$ 36

* preços pesquisados em outubro/2010 e sujeitos a alterações
* consulte as agências e operadoras para saber a disponibilidade de vagas, possíveis taxas extras e formas de pagamento
* o iG Turismo não se responsabiliza pelos preços informados, sugerimos consultar agências e operadoras

Quer mais novidades do iG Turismo? Siga a gente no twitter: @igturismo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.