Acervos exclusivos de Diego Maradona, Jorge Luis Borges, Evita Perón e Carlos Gardel estão entre os destaques

Você pode até não concordar que Diego Maradona seja o melhor jogador do mundo, mas vale um lugar no panteão dos melhores. Em Buenos Aires, o museu do Boca Juniors tem uma galeria só para ele e ostenta uma estátua de três metros do Dieguito. É apenas um exemplo de como nossos vizinhos adoram valorizar seus ídolos. Outras celebridades de lá também possuem um espaço dedicado à sua vida e obra.
Quer ver desenhos e manuscritos de Jorge Luis Borges, que inspirou o último livro de Paulo Coelho, "O Aleph"? Ou prefere conhecer a casa de Carlos Gardel e cantarolar na sala onde ele fazia seus ensaios? Talvez seu interesse seja entender um pouco a adoração dos argentinos por Evita Perón. Seja qual for sua celebridade argentina favorita, todas têm museus com acervos exclusivos. Confira seus destaques:

EVITA
Eva María Duarte de Perón, conhecida mundialmente como Evita, foi atriz, líder política e primeira-dama argentina quando seu marido, o general Juan Domingo Perón, foi eleito. Carismática, em pouco tempo ela tornou-se uma das figuras mais emblemáticas da Argentina. O museu em sua homenagem está instalado na casa onde ela manteve uma fundação de apoio a mulheres entre as décadas de 1940 e 1950.

Objetos estão divididos em fases da vida de Evita
Gabriela Borges
Objetos estão divididos em fases da vida de Evita
Nos anos 2000, o edifício foi transformado em um espaço que reflete sua vida, obra e pensamento. Os objetos expostos foram cedidos pela família de Evita e por colecionadores, e estão divididos entre diferentes fases de sua vida: a infância, os tempos em que trabalhou como atriz, seu casamento com Perón e sua morte. Há diversas fotografias de sua vida pessoal e política, roupas, sapatos e adereços originais usados por ela, documentos oficiais, projeções audiovisuais, além de exposições temporárias.
Museo Evita: Lafinur, 2988 – Palermo. Tel.: 4807-0306. De terça a domingo, das 11h a 19h. Entrada: 15 pesos, com visita guiada 25 pesos.


JORGE LUIS BORGES

Na Galeria Pacifico, em meio à movimentada calle Florida, está o Centro Cultural Borges. Criado em homenagem a Jorge Luis Borges, um dos principais escritores argentinos, o lugar reúne mostras e cursos de cinema, dança, literatura e arte em geral. No espaço dedicado exclusivamente ao escritor, há uma exposição permanente dividida em seis períodos de sua vida: antepassados, nascimento e infância, adolescência, juventude, idade adulta e últimos anos.

É possível ver fotografias, reprodução das capas originais de seus livros, textos pessoais, desenhos e poemas de sua autoria. Borges publicou seu primeiro livro de poemas, "Fervor em Buenos Aires", em 1923. A partir daí, escreveu diversos livros como "História Universal da infâmia", "Ficções" e "O Aleph", que inspirou o último livro de Paulo Coelho. Tornou-se um dos mais importantes escritores da América Latina e recebeu prêmios em países como Itália, França, Inglaterra e Espanha.
Centro Cultural Borges: Viamonte, 500 – Retiro. Tel.: 5555-5359. De segunda a sábado, das 10h às 21h. Domingo, das 12h às 21h. Grátis.

CARLOS GARDEL

Ele é o mais famoso cantor de tango argentino. Ao que consta oficialmente, Gardel nasceu em Toulouse, na França, em 1890, e chegou a Buenos Aires aos dois anos de idade. No entanto, muitos dizem que, na verdade, ele nasceu em Tacuarembó, no Uruguai. Controvérsias à parte, o cantor iniciou sua carreira ainda jovem, quando ficou conhecido como El Morocho del Abasto. Abasto é o bairro onde morava e onde está instalado seu museu, na casa em que passou seus últimos anos.

O lugar foi restaurado e conserva patrimônios da obra de Gardel. Estão praticamente intactos o banheiro, a cozinha, o escritório e a sala principal, lugar em que o cantor costumava ensaiar. Os cômodos são recheados por objetos pessoais, fotografias, além de projeções da época em que participou de filmes, como "Nobleza Gaucha", projetando seu sucesso em diversos países.
Museo Casa Carlos Gardel: Jean Jaurès, 735 – Abasto. Tel.: 4964-2015. Segunda, quarta, quinta e sexta, das 11h às 18h. Sábado, domingo e feriados, das 10h às 19h. Entrada: 1 peso.

Museu fica dentro do estádio do Boca Juniors, o La Bombonera
Gabriela Borges
Museu fica dentro do estádio do Boca Juniors, o La Bombonera
MARADONA
O museu é dedicado ao Boca Juniors e não exclusivamente ao Maradona. No entanto, vale a visita de quem está interessado na vida do polêmico ex-jogador e técnico argentino. O Boca é o time do coração de Diego Armando Maradona, onde ele começou sua história no futebol e terminou a carreira de jogador. O museu, instalado dentro do estádio boquense, conta a trajetória do time e a história do bairro La Boca – onde está o Caminito, uma das ruas mais turísticas de Buenos Aires.

Mas, sem dúvida alguma, Maradona é a grande estrela do lugar: há uma estátua de três metros de altura em sua homenagem logo na entrada, projeção de vídeos dos ídolos do time, com destaque para Diego, exposição das camisas usadas por ele e diversas fotografias que lembram suas conquistas no time. Para o Boca, Maradona é “gênio e paixão”.
Museo de la Pasión Boquense: Brandsen, 805 - La Boca. Tel.: 4362-1100. Todos os dias, das 10h às 18h. Entrada: 28 pesos, 35 pesos com visita ao museu e ao estádio e 40 pesos com visita guiada.

Acompanhe as novidades do iG Turismo também pelo Twitter .

* O IG Turismo não se responsabiliza pelos preços divulgados e sugere confirmação antes com agências e operadoras

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.