O isolamento da Austrália em relação aos demais continentes teve impacto na evolução da vida selvagem

A Grande Barreira de Corais, na Austrália, é o maior recife do mundo
Platypusbloke / Flickr
A Grande Barreira de Corais, na Austrália, é o maior recife do mundo

Desta maneira, as manifestações da natureza têm características únicas – que podem ser observadas principalmente nos mamíferos.

Talvez, o mais estranho animal australiano seja mesmo o ornitorrinco, um mamífero semiaquático que é o único representante vivo da família Ornithorhynchidae e a única espécie do gênero Ornithorhynchus.

O mais interessante? Eles têm bico, botam ovos e se alimentam de carne. Dá para acreditar? Você pode se aprofundar no assunto, e ver que as fêmeas amamentam pelos poros. Ou melhor: você pode dar muita, mas muita sorte, e encontrar um bichinho destes.

Mas o símbolo da Austrália é mesmo o simpático canguru. Que criança não se admirou ao saber que a fêmea guarda o filhote em uma bolsa na barriga?

Canguru
Thinkstock Photos
Canguru

Mais: o coala, que só come folhinhas de eucalipto, também tem uma bolsa masupial (que guarda o filhote) nas costas.

Coalas
Reprodução/Youtube
Coalas


Crocodilos, cobras, sapos e coloridos insetos fazem parte da turma exótica também.

Ornitorrinco
Reprodução
Ornitorrinco


Para quem gosta de vida marinha tem na Austrália um prato cheio: a Grande Barreira de Corais – o maior recife do mundo, com cerca de 2300 quilômetros de extensão. São 1500 espécies de peixe, cinco a oito mil espécies de moluscos, 500 espécies de algas, 1330 espécies de crustáceos e mais de 800 espécies de equinodermes.

Great Barrier Reef Marine Park, na Austrália
Dtraveller / Flickr
Great Barrier Reef Marine Park, na Austrália

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.