Tamanho do texto

Especialista explica como funciona um aluguel para passar férias no exterior

As férias de julho estão chegando e, se você está pensando em fazer uma viagem para os Estados Unidos  e economizar na hospedagem, a dica é optar pelo aluguel de uma casa de temporada, opção mais barata se comparada aos tradicionais hotéis, pois o valor - normalmente mais baixo - pode ser dividido entre os hospedes.

Leia também: Como planejar uma viagem para Orlando sem ter dores de cabeça 

Optar por uma casa de temporada nos Estados Unidos pode sair mais barato do que ficar em um hotel nas férias
shutterstock
Optar por uma casa de temporada nos Estados Unidos pode sair mais barato do que ficar em um hotel nas férias


Ira para os Estados Unidos costuma sair caro por ser um país muito procurado por turistas; em 2017, só Orlando recebeu cerca de 72 milhões de turistas, e, em 2016, cerca de 1,7 milhão de brasileiros visitaram o país. De acordo com Daniel Rosenthal, diretor da plataforma InvestUSA360, além da economia, optar por uma  casa de temporada  também é mais cômodo.

“Segurança, conforto e privacidade são outras vantagens. Para quem gosta de cozinhar, fazer compras nos supermercados e ter a experiência de cozinhar em casa, além de ser mais gostoso, é bem mais barato e saudável do que comer fora”, explica Daniel. Na hora de alugar uma casa para passar as férias, porém, é importante prestar atenção em alguns aspectos:

O que deve ser analisado no momento de alugar um imóvel?

Em primeiro lugar, é preciso ficar de olho na localização da casa e em seus arredores, já que, se ela estiver próxima a parques, pontos turísticos ou, dependendo da cidade, estações de metrô, a viagem fica mais cômoda.

“Vale levar em conta a infraestrutura do condomínio, o tempo de vida do imóvel, a decoração e analisar o histórico, ou seja, comentários de quem já alugou”, diz o especialista. Se a locação for realizada por intermédio de uma imobiliária, é importante requisitar um histórico do imóvel para checar as avaliações anteriores.

Quais os principais erros cometidos?

Um erro comum, de acordo com Rosenthal, é escolher casas que são muito baratas, mas distantes de tudo. “Também não indico alugar um imóvel maior que o necessário para a família, pois vai pagar mais caro por algo desnecessário”, aconselha. Outra dica é preferir os condomínios que tenham opções de lazer, algo fácil de se encontrar nos Estados Unidos.

Leia também: Rota 66: saiba como explorar a rodovia mais famosa do mundo

“A empolgação para quem vai para os parques, por exemplo, dura nos primeiros dias. No terceiro dia, costuma bate o cansaço e, por isso, é importante ficar em uma casa que esteja em um condomínio com coisas como churrasqueira, spa e piscinas, que, na maioria das vezes, são aquecidas”, diz o diretor.

É preciso fazer seguro para alugar um imóvel por lá?

Não! Conforme explica o diretor, o seguro é uma responsabilidade do proprietário da casa ou do condomínio. “A recomendação que eu deixo é fazer um seguro pessoal, pois qualquer atendimento médico por lá custa caro. Engessar um pé, por exemplo, sai em torno de US$ 2 mil dólares (aproximadamente R$ 7,5 mil)”, aconselha Rosenthal, reforçando que o seguro também garante assistência jurídica, de bagagem e atendimento odontológico.

Leia também: Economizar é possível! Veja 7 dicas para juntar dinheiro e viajar

O que deve ser visto com antecedência?

Após a escolha das datas em que a casa de temporada  será alugada, a indicação é já começar a buscar ingressos para passeios, principalmente se eles incluírem os parques da Disney. “Pesquise se terá algum evento do seu interesse acontecendo na época da viagem e reserve o ingresso ainda aqui do Brasil, pois costuma ficar bem cheios nas férias, fazendo com que perca boas oportunidades. Há condomínios que oferecem esse serviço de concierge”, finaliza Rosenthal.