Cassandra De Pecol se tornou a primeira mulher a visitar todas as nações soberanas do mundo e fala que a viagem teve um propósito sustentável

A americana Cassandra De Pecol conseguiu alcançar a meta que desejava e, aos 27 anos, ela pode dizer que é a primeira mulher a visitar todas as nações soberanas do mundo.  De 25 julho de 2015 a 2 de fevereiro de 2017 ela passou por 195 países e entrou para o Guinness World Records. O objetivo dessa volta ao mundo foi promover a sustentabilidade e a paz.

Cassandra De Pecol conheceu todos os países do planeta em 18 meses e bateu recorde mundial
Reprodução
Cassandra De Pecol conheceu todos os países do planeta em 18 meses e bateu recorde mundial


O projeto de visitar os países foi chamado pela viajante de “ Expedition 196 ”, começou  pela República de Palau e terminou no Iêmen. Cassandra, entretanto, teve alguns imprevistos no caminho. Quando chegou ao último destino no dia 27 de janeiro, as autoridades de Omã disseram que ela estava livre para entrar, mas que não poderiam garantir a segurança dela por não possuírem uma pré-autorização da Embaixada dos Estados Unidos.

De acordo com o portal Seeker, essa não foi a primeira vez que ela foi rejeitada por um país e teve que voltar para casa, em  Nova York . Durante a expedição, a americana foi detida várias vezes por autoridades que suspeitavam que ela fosse jornalista, espiã ou traficante de drogas.

Recorde mundial

Mesmo com contratempos, Cassandra conseguiu enfrentar os desafios e bater o recorde que antes era do professor Yili Liu . Ele levou três anos, três meses e seis dias para visitar todos os locais soberanos, terminando em dezembro de 2010.

Leia mais: 35 anos, 153 destinos e perrengue: histórias do viajante que já bateu recordes

A vontade de viajar para o exterior começou na adolescência da americana. Ela conta que se sentia inquieta, até que se perguntou o que faria se tivesse a chance de escolher qualquer coisa do mundo a resposta foi: visitar todos as nações.

Cassandra diz que a viagem teve um propósito sustentável
Reprodução
Cassandra diz que a viagem teve um propósito sustentável


Sustentabilidade

As viagens não eram apenas um hobby ou diversão. Cassandra se reunia nos destinos que passava com estudantes, ministros do turismo e representantes do governo local para fazer apresentações de turismo sustentável .

Ela pedia para que as hospedagens prezassem pela economia de energia, que os estabelecimentos valorizassem a produção de alimentos locais e que o governo e a população respeitassem a cultura e os patrimônios históricos e culturais.

Leia mais: Como fazer uma viagem de volta ao mundo

Reconhecendo que voar pelo mundo conhecendo os países não é algo muito sustentável, Cassandra também estabeleceu um programa para plantar árvores ao redor do mundo, como um esforço para compensar a enorme emissão de carbono que há no mundo, mesmo sabendo que o resultado dessa medida pode levar anos.