Conhecida como o destino romântico do arquipélago havaiano, a ilha faz jus à fama sem deixar de contemplar os desejos de quem busca aventura, compras e vida noturna

Não importa se o objetivo é descanso na praia, aventura na selva ou baladinha na cidade. Quem vai a Maui, encontra tudo isso sem precisar ir muito longe. Talvez por isso a segunda maior ilha do Havaí (EUA) tenha um apelo tão forte entre os jovens e os casais.

Dizem os mais místicos que as sete principais ilhas do arquipélago representam os sete chakras energéticos do corpo humano, e que Maui corresponde ao chakra sexual – essa seria a explicação de porque a ilha se firmou como o grande destino romântico do arquipélago. Verdade ou não, uma coisa é certa: é impossível não se apaixonar por Maui.

Decidido a conhecer Maui nas próximas férias? Prepare-se para uma viagem longa e cansativa, mas que vale cada hora gasta entre aviões e escalas. Uma vez lá, comece por explorar a costa oeste da ilha. Ali, ficam a histórica Lahaina – essa cidadezinha baleeira foi capital do reino do Havaí, no início do século 19 – e a praia de Kaanapali, onde estão resorts incríveis, bons restaurantes, centros de compras com lojas para todos os gostos e a famosa Black Rock, um penhasco onde, diariamente ao cair da tarde, tochas são acesas em uma linda cerimônia de homenagem a Kahekili, um dos reis que governaram a ilha.

Outro passeio imperdível é o trajeto para Hana. A cidade em si não tem nada de muito especial. Como os próprios havaianos costumam dizer, especial mesmo é a jornada até lá. A Hana Highway (HI-360) tem 59 pontes e mais de 600 curvas. Não é nada de absurdo para quem está acostumado a dirigir nas estradas de serra pelo Brasil, mas os turistas americanos acham a rodovia perigosíssima e andam com muita cautela. O lado bom de trafegar tão devagar é poder apreciar a vista: de um lado penhascos e o oceano Pacífico; do outro, cachoeiras e uma natureza exuberante.

Entre o início e o fim do passeio para Hana, enseadas e praias belíssimas, vales formados pela força da água que desce das montanhas na época de chuva e as Seven Sacred Pools of Oheo, uma série de piscinas formadas a partir de uma queda d’água que desemboca no mar, com direito a uma vista inesquecível.

Mas o passeio mais legal de Maui, sem dúvida, é o Haleakala National Park, onde fica o vulcão de mesmo nome. Em havaiano Haleakala significa “Casa do Sol”. E é isso mesmo que você vai ver, caso se disponha a acordar às 3h da madrugada e pegar a estrada que leva ao topo do vulcão para assistir ao nascer do Sol a 3 mil metros do nível do mar.

Logo cedinho faz um frio danado no topo so Haleakala. Os turistas despreparados chegam a usar as toalhas e as cobertas dos hotéis para se protegerem do vento frio. As mãos doem, o nariz dói, e a sensação é de que está muito mais frio do que indicam os termômetros. Mas o perrengue se transforma em um detalhe menor quando ele, o Astro-Rei, desponta no horizonte de nuvens que, lá em cima, encobre qualquer visão do solo. Esse momento, enquanto ele vai subindo, devagarinho, é daqueles que ficam marcados para sempre na memória.

Como chegar
A maior parte das companhias aéreas que voam para o arquipélago tem voos diretos para Maui (Kahului Airport) desde diversas cidades americanas.

Onde ficar
O mais prudente é escolher alguma opção de hospedagem na costa mais ensolarada, onde ficam Kapalua, Kaanapali, Lahaina e Wailea. Hana, na região leste da ilha, também oferece boas opções de hospedagem, mas o clima de selva é bem mais instável, ou seja, chove mais.

Dicas

1. Se o seu plano é explorar a ilha alugue um carro. Só lembre de alugar com antecedência, pois dependendo da época a oferta de carros é escassa.

2. De carro, controle sempre o nível de combustível, pois alguns passeios são longos e em determinadas regiões da ilha os postos de gasolina são poucos.

Caminho para Hana (Maui) revela enseadas e praias belíssimas
Leoleli Camargo Schwartz
Caminho para Hana (Maui) revela enseadas e praias belíssimas

3. Caso prefira apreciar a paisagem sem pensar em mapas e combustível, escolha os passeios que deseja fazer e contrate uma das muitas agências que oferecem guias para as principais atrações da ilha.

4. Leve roupas e calçados confortáveis para caminhar. Caso opte por ver o nascer do sol no topo do vulcão Haleakala – recomendamos fortemente –não esqueça de incluir roupa de frio na mala. O passeio começa ainda de noite e a temperatura no cume do vulcão é muito baixa. Com o vento então, fica congelante!

Leia mais no Turismo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.