Deixe Cancún um pouco de lado e permita se encantar pelas cores, bordados, comidas e hospitalidade da capital mexicana

Destino pouco valorizado pelos brasileiros que desembarcam no México rumo ao mar cristalino de Cancun , a Cidade do México , localmente chamada apenas de DF (Distrito Federal) guarda mais surpresas do que se imagina. Veja abaixo cinco motivos para incluir a capital no programa das próximas férias no Caribe. 

1- Artesanatos coloridos
Nas feiras de rua, os tons fortes do México estão em tudo. Em bordados, mantas, vestidos, caveiras, penduricalhos, cerâmicas… Tudo tão caprichado que é quase impossível não mergulhar nesse universo nada discreto. No Bazar Del Sabado – inaugurado oficialmente em 1950 para divulgar o trabalho artesanal do país –, no bairro de San Angel, vale se perder pelas barraquinhas e pechinchar as compras de produtos locais e tradicionais. Se a manta de lá é 600 pesos, jogue uma conversa. Nós, por exemplo, saímos pagando 300 pesos na peça. E não deixe, de maneira nenhuma, de levar um wipil, aquele tradicional vestidinho mexicano bordado com flores.

2- Museu Frida Kahlo
A famosa casa azul, morada da artista e seu amado, Diego Rivera, de 1929 a 1954, revela toda a complexidade que permeou a vida e obra de Frida. Objetos íntimos, livros, pincéis, camas, roupas e, claro, grande acervo de Frida estão expostos. A entrada custa 100 pesos para estrangeiros, e para fotografar na parte interna é preciso pagar uma taxa extra de 60 pesos.

3- Parque Chapultepec
Um dos maiores da cidade, o parque é ótimo para um belo passeio no meio da tarde. Barraquinhas de doces típicos ou paleteros (os originais!) dão o tom. Bem no meio, está localizado o Palácio de Chapultepec, antiga residência do imperador Maximiliano e a imperatriz Carlota do México. Do topo, é possível ter visão geral da Avenida de la Reforma, uma das principais da cidade. Antigamente, era chamada de Passeio do Imperador. Era por ali que Maximiliano caminhava até chegar ao centro. A entrada no parque é gratuita e tem rede wifi (olha o Instagram aí!). Para o Palácio, o ingresso é 59 pesos (mais 45 pesos para fotografar na parte interna do museu), e de graça aos domingos.

4- Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe
Tirando a Basílica de São Pedro, é o segundo santuário católico mais visitado do mundo. Na extensa área de capelas e basílicas, devotos de todos os lugares reforçam sua crença. Mesmo para quem não segue a linha católica, a visita é indicada. Os jardins do Santuário são bem cuidados e as igrejas apresentam arquitetura interessante e variada. Uma delas, a Antiga Basílica de Guadalupe, foi reaberta em 2001 após um processo de restauração do solo. Foi descoberto um afundamento da terra e, por isso, a construção é inclinada para frente. A alteração é visível a olho nu, de dentro e de fora da igreja.

5- Gastronomia
Nem só de guacamole vive o mexicano. Claro, tacos, tortillas, tequila e tudo de mais conhecido na culinária apimentada do país é preciso apreciar. Mas que tal se aventurar um pouquinho e provar os estranhos escamoles, que nada mais são que ovas de formiga? Bem temperadinhas, as bolinhas claras pegam o gosto das ervas e ficam até gostosas. E aquele cacto redondinho é comida também. Nopal é cortadinho em tiras, posto em conserva (como picles) e transformado em salada. Outro prato típico é o Chiles en Nogada: pimentão verde recheado com carne moída e coberto por um creme de romã e nozes. Aprovadíssimo.

Leia mais:
- Guia para a primeira viagem de avião
- Roteiro de compras em Miami
- As 10 praias mais bonitas do Nordeste

* A repórter viajou a convite do IHG (InterContinental Hotels Group), Grupo Presidente, AeroMéxico e da Secretaria de Turismo do Governo da Cidade do México

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.