A gastronomia da capital austríaca é um convite para quem quer comer bem e sem culpa

A linda capital da Áustria é uma descoberta para todos os sentidos, especialmente para o paladar. A gastronomia do país é um convite para quem quer comer sem culpa. O clássico Wiener schnitzel e salsicha à espera da ópera são pontos altos da cidade. Os doces são um capítulo à parte. A disputa pública pela autenticidade de uma torta de chocolate com geleia de damasco virou chamariz para os turistas, que fazem questão de experimentar as duas receitas.

Batalha de tortas

Uma briga de herdeiros por causa da receita de uma torta de chocolate com recheio de geleia de damasco ganhou as páginas dos jornais e passou a atrair turistas para Viena interessados em provar o sabor do doce criado no século 19. Em 1832, o príncipe Metternich pediu que fosse preparada uma nova sobremesa para o banquete que estava oferecendo. Como o chef de cozinha principal estava ocupado, a tarefa ficou a cargo do jovem aprendiz Franz Sacher.Em 1976, o filho do criador, Eduard Sacher, inaugurou o Hotel Sacher e passou a oferecer a torta. Mas como a receita original da corte havia sido vendida ao café Demel, Eduard teve que inovar e colocou mais uma camada de geleia no doce. A disputa foi parar na Justiça e, em 1999, ficou decidido que ambos estabelecimentos poderiam servir sua torta. Passou então a ser programa obrigatório experimentar as duas versões. Dica: a receita do hotel, com camada de geleia embaixo da cobertura e no meio, leva vantagem por ser mais molhadinha.

Hotel Sacher - Philharmonikerstrasse 4
É possível experimentar um pedaço no café ou levar a torta para casa dentro de uma caixa de madeira. Os preços variam entre 19,90 e 41 euros

Demel – Kohlmarkt 14
Os preços da torta inteira variam entre 21,70 e 39 euros


Wiener schnitzel

O clássico: filé bem fininho de vitela à milanesa
Divulgação
O clássico: filé bem fininho de vitela à milanesa

O prato clássico do país pode ter surgido no norte da Itália como costoletta alla milanese, mas os austríacos se apropriaram e aperfeiçoaram a receita do Wiener schnitzel – uma filé bem fininho de vitela à milanesa, frito em manteiga clarificada. O restaurante Plachutta´s Gasthaus zur Oper, no centro de Viena, serve o prato tradicional por 17,60 euros, acompanhado de uma salada agridoce de batata.

Plachutta´s Gasthaus zur Oper
Walfischgasse 5-7

Salsicha na rua

Salsicha é outra especialidade vienense e tradicional comida de rua. Uma das mais concorridas barracas fica em frente ao museu Albertina. Escolha sua salsicha, entre diversos tipos, até recheada com queijo, e peça acompanhada de mostarda e maionese apenas, como os austríacos. Vem também pão fatiado. Há ainda a opção de hot dog para os turistas. Como o local fica próximo da ópera de Viena, não se surpreenda se à noite encontrar mulheres de vestido longo e homens de smoking na fila.

As salsichas custam entre 3,10 e 4,10 euros.
Albertina Museum - Augustinerstrasse 1

Zum Schwarzen Kameel

Mini-sanduíches de diversos sabores
Luciana Franca
Mini-sanduíches de diversos sabores

O charmoso prédio foi inaugurado em 1618 como uma loja de comida exótica e temperos, mas no início do século 19 uma taverna de vinho se juntou à delicatessen fazendo do local o ponto de encontro de artistas e intelectuais. Em 1901, o prédio foi totalmente reformado e mantém seu estilo até hoje. O carro-chefe da casa é a seleção de mini-sanduíches – na verdade pães cortados em pequenos retângulos cobertos com patês dos mais variados como páprica, queijo, ou com outros tipos de cobertura, entre eles presunto cru, salmão defumado ou ovo com caviar. São pequenas delícias que acompanham perfeitamente taças de vinho ou drinques oferecidos no menu. Os austríacos dizem que o Zum Schwarzen Kameel é o primeiro fast-food da Europa.

Cada sanduichinho custa 1,50 euro - e é impossível comer um só.
Zum Schwarzen Kameel - Bognergasse 5

Vinho na casa de Beethoven

Viena é a maior capital do mundo produtora de vinho e a maior parte da produção é de branco. Não perca a chance de passear de trenzinho pelos vinhedos dentro da cidade e parar numa taverna para degustar a bebida local. A Mayr am Pfarrplatz segue a regra desse tipo de lugar de oferecer petiscos por quilo para acompanhar os vinhos produzidos por eles e ainda tem o charme de ter sido o local onde Ludwig van Beethoven escolheu para morar durante uma temporada em 1817.

Mayr am Pfarrplatz - Pfarrplatz 2, 1190

(*) A jornalista viajou a convite do departamento de Turismo de Viena

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.