Principal prato do país, o goulash foi exportado para diversos vizinhos da Europa Central, mas vale provar o original em Budapeste

A Hungria tem uma estrela em seu cardápio: o goulash, uma espécie de guisado de carne de vaca que leva o preparo batatas, cenouras, páprica e pimenta.

A receita é um patrimônio nacional e foi exportada para diversos países próximos, sendo popular na Áustria, Alemanha, Polônia e República Tcheca. É difícil encontrar um restaurante em Budapeste que não sirva um bom goulash. Peça sem medo.

A comida na capital húngara pode ser exótica e gratificante ou simplesmente um jantar para esquecer. Pratos muito pesados, com pouco tempero e sem muita inspiração são comuns, principalmente em restaurantes voltados aos estrangeiros – evite a rua Vaci, pretenso polo gastronômico local que é a típica pegadinha para turistas. Espere encontrar muita carne (de frango, de peru, de porco e de animais de caça, principalmente), muita páprica e muito purê de batata, batata assada, batata cozida, batata frita...

Mais: Faça um tour comunista por Budapeste

Azsindelyes Étterem és Pálinkaház: não se assuste com o nome, a comida é deliciosa
Rafael Bergamaschi
Azsindelyes Étterem és Pálinkaház: não se assuste com o nome, a comida é deliciosa

Uma boa opção para ter momentos agradáveis com a comida húngara é o Azsindelyes Étterem és Pálinkaház (rua Mester, 13). O restaurante de nome fácil tem ambiente animado e, mais importante, ótimos pratos – além de um cardápio em inglês.

Para provar um pouco de tudo, peça o Hungary Mix Plate, um prato gigantesco que serve facilmente quatro pessoas. O preço, cerca de R$ 200, não é dos melhores, mas compensa. Peito de frango recheado com alho e queijo defumado, picadinho de carne com cebola, páprica, tomate e especiarias, e joelho de porco assado são algumas das oito especialidades que compõem a refeição.

Aproveite a visita para provar a Pálinka. O destilado de frutas, que surgiu inicialmente como remédio para curar a artrite do rei Carlos 1º, no século 14, é um aperitivo revigorante para dar início às celebrações da gula.

Outra opção é o Csalogány 26 (rua Csalogány, 26). O restaurante de bairro tem fachada discreta e talvez por isso passe despercebido pela maioria dos turistas. O Csalogány conseguiu, no entanto, chamar a atenção do Guia Michelin, que agraciou o estabelecimento com o título BIB Gourmand, dado a lugares que servem boas comidas a preços razoáveis. A culinária é típica húngara, mas com toques contemporâneos.

As porções são pequenas e servidas em menu degustação de quatro ou oito pratos, acompanhados de vinhos locais. Coelho, pato e cordeiro finamente temperados costumam compor as opções do dia, que mudam de acordo com a estação do ano e a disponibilidade de ingredientes. O preço fica em torno de R$ 60.

* O repórter viajou a convite da agência de intercâmbios STB e da Contiki

Tudo sobre Budapeste:
- Descubra os encantos da capital húngara
- Mergulhe nas piscinas termais de Budapeste
- Veja as cicatrizes deixadas pelo comunismo em Budapeste

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.