Para conhecer de verdade um lugar, escolha andar a pé, de bicicleta ou transporte público. Veja nossas sugestões

Com lançamento marcado para dia 5 de julho, o livro “Como Viver em São Paulo sem Carro” toca em um ponto crucial na vida do paulistano – e de muitos moradores de cidades grandes, onde o trânsito se tornou tão imobilizador que os cidadãos passam a escolher alternativas de transporte sem carro, para ganhar qualidade de vida.

Os benefícios dessa escolha são muitos, indo da melhora da saúde, à economia e à sensação de ganho de tempo, até a redução da poluição, o aumento da circulação de pessoas pelas ruas, que auxilia na queda da criminalidade, e o incentivo à cidadania, à medida que a cidade passa a ser observada mais de perto no dia a dia.

Leia também:
- Descubra a viagem perfeita para cada signo do zodíaco

Entusiasmou-se com a ideia? Pois selecionamos roteiros para conhecer São Paulo, Rio de Janeiro, Veneza, Berlin, Nova York e Vietnã a pé ou de bicicleta. Prepare a mochila e o tênis, faça um alongamento rápido e parta para a aventura.

São Paulo de bicicleta

Apesar das recentes ciclovias e do aumento de ciclistas pela cidade, especialmente aos fins de semana, as bicicletas ainda dividem o espaço (ou brigam por ele) com os carros e, por vezes, as rotas levam do nada a lugar algum.

A novidade é que o centro da cidade – área histórica, com 25 pontos de interesse, como prédios, bibliotecas, praças e igrejas – deve ganhar uma rota completa para ciclistas até o fim deste ano. O trajeto deve incluir as quatro estações de metrô do centro histórico (São Bento, República, Anhangabaú e Sé), como forma de atrair não apenas quem mora por ali, mas também ciclistas que venham de outros pontos da cidade.

Entre os principais locais por onde ela passará estão as galerias Olido e do Rock, o Centro Cultural Banco do Brasil, o Edifício Martinelli, o Pátio do Colégio, a Catedral da Sé, o Teatro Municipal, a Biblioteca Mario de Andrade e o Edifício Itália.

Ou a pé

Vista do Edifíco Itália, em São Paulo
Rodrigo Petterson/ SP Turis
Vista do Edifíco Itália, em São Paulo

Pela mesma região e com diversos trajetos, já existe um programa de caminhadas que funciona agitado pela Ação Local de Barão de Itapetininga, em parceria com a ONG Associação Viva O Centro. Um dos diferenciais desse passeio, que é gratuito, é o horário em que ele se dá: as saídas são sempre às quintas-feiras, a partir das 20h, do Teatro Municipal. Um grupo de 50 a 100 pessoas é guiada por especialistas pelos principais pontos do centro antigo. Ao longo do trajeto são passadas explicações sobre os pontos de maior interesse, indo do grafite à arquitetura, conforme a programação. Sugere-se fazer reservas para grupos com mais de 20 pessoas.

Serviço:
Caminhada Noturna pelo Centro
Tel: (11) 3256-7909

Veja também:
Ciclofaixa muda a cara de São Paulo aos domingos
Walking tour: Explore o Rio a pé

Para cima e para baixo em Veneza

Grupos folclóricos tocam músicas e apresentações por toda a rota em Veneza
Samira Almeida
Grupos folclóricos tocam músicas e apresentações por toda a rota em Veneza

Se andar de carro em Veneza é impossível, perder-se entre as ruelas e passagens da cidade é a coisa mais fácil do mundo. Mas quem planeja (ou tem sorte) pode participar da “Su e Zo per i Ponti” (“Subindo e Descendo Pontes”).

Trata-se de um evento organizado por uma série de associações e com apoio da prefeitura, autoridade portuária e Secretaria do Turismo, que premia grupos folclóricos e promove passeios a pé em dois percursos (13 km e 7 km) cruzando as pontes da cidade. Os grupos vestidos com roupas folclóricas e tocando músicas típicas “guiam” o passeio, que conta com mapa, sugestão literária e apresentações dos grupos.

Começa bem cedinho, com a missa das 8h da catedral de São Marcos (não deixe de dar uma espiada na igreja, que é impressionante) e termina por volta das 15h, no mesmo ponto, com premiações e muita animação.

As inscrições para a caminhada são baratas (6 euros) e podem ser feitas pessoalmente, via internet ou fax, geralmente até dez dias antes do evento, que acontece sempre no mês de abril. Se quiser arriscar a sorte, no dia do passeio a “Su e Zo” também abre inscrição em pontos de venda instalados na estação de Santa Lucia, na praça São Marcos e na parada Tronchetto. Mas apenas até acabarem os ingressos.

Serviço:
Su e Zo per i ponti
Tel: +39.041.5904717
info@suezoperiponti.it

Leia mais:
Pedalando na Provence
Versailles de bicicleta

Caminhando por Berlin

Descobrir Berlin pode ser simples e barato; basta ter disposição
SXC
Descobrir Berlin pode ser simples e barato; basta ter disposição

Descobrir a capital da Alemanha em passeios com grupos ou individuais é uma possibilidade agradabilíssima. Por 12 ou 15 euros e com disposição para sociabilizar-se, é possível fazer uma rota básica, descobrir o passado de ruas e prédios que já mudaram de nome, conhecer antigos campos de concentração, detalhes da comunidade judaica ou sobre o período da Guerra Fria. Fazer uma rota desenhada especialmente para você ou seu grupo também é possível, mas o preço muda.

Quem oferece o serviço em inglês é a Original Berlin Walks e os tickets podem ser comprados com antecedência, via internet, ou no ponto de partida do grupo, sendo necessário apenas chegar com dez a quinze minutos de antecedência e falar diretamente com o guia (horários e pontos estão disponíveis no site).

Serviço:
Original Berlin Walks
Tel: +49 3030 19194




Mais:
Conheça Londres de metrô
Amsterdã: uma cidade em duas rodas

Parque elevado em Nova York

O trajeto do High Line, em Nova York, estende-se por 32 quadras
Associação de Amigos do High Line
O trajeto do High Line, em Nova York, estende-se por 32 quadras

Passeio do momento em Nova York, o High Line, pode ser descoberto a pé. Construído sobre um antigo trilho de trem abandonado no West Side Manhattan por meio de numa mobilização social exemplar dos moradores que vivem nos seus arredores, o parque suspenso ao longo de 32 quadras, tem trilhas ajardinadas e áreas de descanso. Perfeito para quem quer desfrutar da natureza e ver a cidade de um ponto de vista diferente.

O acesso à via elevada pode ser feito em diversos pontos, das 7h às 23h, e o mapa completo está disponível no site do parque.

Leia mais sobre o High Line:
Nova York em torno do High Line Park

Serviço:
High Line – NY
Tel: (212) 206-9922





De bike pelas capitais europeias

Mais de 5 milhões de pessoas já participaram dos trajetos planejados pela Sandemans New Europe, que possui opções para se fazer de bicicleta em 14 cidades (Amsterdã, Berlin, Copenhagen, Munich, Praga, Londres e outras). Em cada uma das cidades, pelo menos uma das rotas oferecidas pode ser feita gratuitamente e há muitas outras opções a preços bem razoáveis – de 12 a 15 euros.

Serviço:
Sandemans New Europe
Tel: +49 0 30 5105 0030

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter



    Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.