Alianças entre companhias aéreas fazem do sonho distante uma possibilidade, com tarifas em conta e datas flexíveis

Fazer uma viagem de volta ao mundo é mais fácil do que parece. Mesmo. Se um dia a ideia de percorrer todos os continentes em um espaço relativamente curto de tempo parecia devaneio ou um luxo somente possível aos mais endinheirados, hoje grandes alianças entre companhias aéreas permitem o planejamento da jornada sem – muitas – complicações e com gastos bem mais modestos.

São três os grandes grupos de empresas que oferecem o serviço: Star Alliance, Sky Team e One World. Em todas, o preço varia muito, de acordo com as datas escolhidas, taxas e local de início da viagem. Em geral, o valor fica algo entre US$ 4 mil e US$ 15 mil.

Leia também:  Volta ao mundo em veleiro, bike e avião

Já conhece as pirâmides egípcias?
Getty Images
Já conhece as pirâmides egípcias?

O bilhete funciona da seguinte forma: você paga o valor total já no início eganha o direito de direito fazer de três a 15 ou 16 viagens. O valor é referente às milhas a serem percorridas e não à quantidade de destinos escolhidos. Os trajetos são feitos com as companhias aéreas que fazem parte da aliança escolhida.

Ainda que existam diferenças entre cada uma das alianças, algumas regras básicas servem para todas. A viagem deve ser concluída dentro de um ano e precisa começar e terminar no mesmo país – não necessariamente na mesma cidade. Todos os voos são agendados no momento de assinatura, mas podem ser alterados depois, sem nenhum custo adicional.

Tóquio é centro de tecnologia de ponta mesclada à cultura milenar
Getty Images
Tóquio é centro de tecnologia de ponta mesclada à cultura milenar

Há também a possibilidade de percorrer o globo terrestre de navio. Mais luxuoso, o serviço pode chegar a custar mais de US$ 50 mil. O percurso costuma durar entre 70 e 120 dias. Em geral, os navios saem de portos norte-americanos, mas alguns deles passam pelo Rio de Janeiro e passageiros podem começar a viagem por ali. Algumas das empresas que oferecem o serviço são Holland America , Silversea e Seabourn .

Se a ideia, no entanto, é viajar mesmo de avião, confira as especificidades de cada uma das alianças:

Star Alliance
Companhias associadas: Adria Airways, Aegean Airlines, Air Canada, Air China, Air New Zealand, ANA, Asiana Airlines, Austrian Airlines, Blue1, Brussels Airlines, Croatia Airlines, EgyptAir, Ethiopian Airlines, LOT Polish Airlines, Lufthansa, Scandinavian Airlines, Singapore Airlines, South African Airways, Swiss International Airlines, TAM, TAP Portugal, Thai Airways International, Turkish Airlines, United Airlines, US Airways.
Sistema: o cálculo é feito em relação à milhagem percorrida. São quatro opções possíveis: 26 mil, 29 mil, 34 mil e 39 mil milhas.
Regras: a viagem precisa começar e terminar no mesmo país (não necessariamente na mesma cidade). O viajante pode parar entre 3 e 15 cidades, dentro do período de um ano. O trajeto deve ter apenas uma direção geral, ocidente ou oriente, podendo variar apenas dentro das seções traçadas pelo programa: CT1 (América do Norte, América Central, América do Sul, Groenlândia, Caraíbas, Havaí), CT2 (Europa, Açores, Islândia, Médio Oriente, África, Seychelles) e CT3 (Ásia e Oceania). Todos os destinos precisam ser especificados no momento de compra.

Mergulhar na Grande Barreira de Corais, na Austrália, é experiência única
Getty Images
Mergulhar na Grande Barreira de Corais, na Austrália, é experiência única

Sky Team
Companhias associadas: Aeroflot, Aeroméxico, Air Europa, Air France, Alitalia, China Airlines, China Eastern Airlines, China Southern Airlines, Czech Airlines, Delta Air Lines, Kenya Airways, KLM, Korean Air, Saudia, TAROM, Vietnam Airlines.
Sistema: o cálculo é feito em relação à milhagem percorrida. São quatro opções possíveis: 26 mil, 29 mil, 34 mil e 39 mil milhas.
Regras: a viagem precisa começar e terminar no mesmo país (não necessariamente na mesma cidade). O viajante pode parar entre 3 e 15 cidades, dentro do período de um ano. O itinerário precisa incluir um voo transatlântico e outro pelo Pacífico. O trajeto deve ter apenas uma direção geral, ocidente ou oriente, podendo variar apenas dentro dos continentes. Todos os destinos precisam ser especificados no momento de compra.

One World
Companhias associadas: Air Berlin, American Airlines, British Airways, Cathay Pacific, Finnair, Iberia, Japan Airlines, LAN, Mexicana, Qantas, Royal Jordanian, S7 Airlines.
Sistema: Existem duas opções, por milhas ou pelo número de continentes visitados. No caso das milhas, as opções são 26 mil, 29 mil, 34 mil e 39 mil milhas.
Regras: a viagem precisa começar e terminar no mesmo país (não necessariamente na mesma cidade). O viajante pode parar entre 3 e 16 cidades, dentro do período de um ano. Todos os destinos precisam ser especificados no momento de compra. Somente uma partida intercontinental e uma chegada intercontinental são permitidas em cada continente. No caso da viagem por número de continentes, são possíveis até quatro destinos em cada um.

Outras histórias:
- Volta ao mundo em um veleiro: “Síntese de um sonho de liberdade”
- Volta ao mundo de bicicleta: “Mais contato humano e maleabilidade no trajeto”
- Volta ao mundo em veleiro, bike e avião

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.