Viaje ao passado em atrações como a Cidade Proibida, a Praça da Paz Celestial, o Parque Beihai e, é claro, a Grande Muralha

Apesar de cosmopolita, com construções opulentas e lojas de arte, fazer uma volta ao passado é indispensável na visita à Pequim . O retrato de Mao Tsé-Tung, o Grande Timoneiro, ainda emoldura a entrada da Cidade Proibida, mirando a Praça da Paz Celestial. Ambas são paradas obrigatórias e podem ser conhecidas em cerca de quatro horas. É na maior praça do mundo – orgulham-se os chineses – que você se sentirá no centro do poder.

Cidade Proibida, parada obrigatória em Pequim
Getty Images
Cidade Proibida, parada obrigatória em Pequim
O Grande Palácio do Povo , onde ocorrem as decisões do Partido Comunista da China, está num dos flancos, em um imponente prédio de inspiração russa. À frente, está o recém-reformado Museu Nacional , braço da história oficial comunista. A poucos metros, o Mausoléo guarda o corpo de Mao, ainda que boatos dêem conta de se tratar de um boneco de cera.

Vista a história contemporânea, mergulhe no mundo do imperador, de eunucos e concubinas. Conhecer a Cidade Proibida, inaugurada em 1421, é viajar no tempo e se sentir parte do cenário do clássico O Último Imperador (1987), o filme de Bernardo Bertolucci que levou os nove Oscar aos quais concorreu. Se você ainda não assistiu, o faça antes de vir à China.

Mausoléo de Mao Tsé-Tung no centro da Praça da Paz Celestial
Getty Images
Mausoléo de Mao Tsé-Tung no centro da Praça da Paz Celestial


O vermelho dos prédios abunda e contrasta com detalhes em dourado, tudo sob telhados ricamente esculpidos e pintados. Tenha bastante bateria e memória suficiente, a máquina fotográfica não terá descanso. Há poucos móveis ou objetos de arte nos prédios. É que no fim do governo, derrotado pelos comunistas, Chiang Kai Shek fugiu para Taiwan , levando a maior parte do acervo local.

Ao deixar a Cidade Proibida , você estará próximo ao jardim imperial de Beihai . A poucos minutos de riquixá, você encontrará as Torres do Sino e do Tambor , encravadas numa das regiões mais preservadas da cidade, onde as vielas centenárias conhecidas como hutongs (lê-se rutôngs) são um convite a passeios a pé.

Indique que você quer ir a Gulou . Por ali, perca-se na formação urbana típica da Pequim dos mandarins. Tenha em mente: pode até haver um que outro batedor de carteira, mas a cidade prima pela segurança.

Para ver a Grande Muralha o turista pode levar até sete horas para completar o passeio
Getty Images
Para ver a Grande Muralha o turista pode levar até sete horas para completar o passeio
A Grande Muralha é outro item da lista de imperdíveis. Para chegar lá, é preciso ou pegar ônibus ou alugar um carro – a maneira mais rápida – e você precisará entre seis ou sete horas para completar o passeio. Ou seja, praticamente um dia só para ela, que pode terminar em compras rápidas e um jantar, ou a combinação reparadora e altamente recomendável de uma sessão de massagem e um jantar. Há duas partes famosas próximas à capital, Badaling, reformada e mais turísticas, e Mutianyu, que ainda guarda trechos originais e onde um tobogã pode ser a opção para descer a muralha.

Se sobrar tempo, conheça o Templo do Céu e o Palácio de Verão . São novas voltas ao passado, mas a arquitetura imperial vale a pena.

Serviço:

Cidade Proibida
Norte da Praça da Paz Celestial, Avenida Chang’An
Preço: de abril a outubro 60 yuans; novembro a março 40 yuans
Metrô: Tiananmen West ou Tiananmen East
Horário de funcionamento: Abre todos os dias. De abril a outubro, das 8h30 às 17h. De novembro a março, das 8h30 às 16h30.

Praça da Paz Celestial, ou Tian’anmen
Preço: gratuito
Metrô: Tiananmen West, Tiananmen East
Horário de funcionamento: Abre todos os dias, mas é fechada ao público durante a noite. O ingresso é permitido a partir da cerimônia de hasteamento da bandeira, ao alvorecer, até a cerimônia de arriamento, ao entardecer.

Grande Muralha
Badaling
De ônibus: linha 919 parte de Deshengmen.
Ingressos: 45 yuans de abril a outubro e 40 yuans de novembro a março. O teleférico custa 40 yuans um trecho ou 60 yuans para subir e descer a muralha.
Horário: no verão, de 6h30 às 19h e no inverno, de 7h às 18h

Parque Beihai
Aos fundos da Cidade Proibida
Preço: 5 yuans. Alguns locais dentro do parque têm ingresso extra, como a pagoda em estilo tibetano.
Horário de funcionamento: aberto diariamente das 9h às 21h – embora muitos prédios fechem mais cedo.

Gulou, Torre do Sino e do Tambor
13 Guozijian Jie (perto da entrada principal do Lama Temple), distrito Dongcheng
Preço: 20 yuans para a Torre do Tambor (vermelha) 10 yuas para a Torre do Sino (Cinza)
Metrô: Gulou Dajie
Horário de funcionamento: Aberto diariamente das 9h às 17h.

Palácio de Verão
Yiheyuan Lu, Distrito Haidian
Preço: 30 yuans de abril a outubro e 20 yuans de novembro a março.
Metrô: Beigongmen
Horário de funcionamento: Aberto diariamente das 6h30 às 20h. A bilheteria fecha às 18h.

Templo do Céu
Portão Norte do Templo do Céu, Distrito Chongwen
Preço: 15 yuans para conhecer o parque de maio a outubro, 10 yuans de novembro a abril. Na alta temporada, o bilhete integral (que dá direito às construções do local) custa 35 yuans. Na baixa temporada, 30 yuans.
Metrô: Tiantan Dongmen
Horário de funcionamento: Aberto diariamente. O parque funciona de 6h às 21h. Os prédios, de 8 às 17h.

* O iG Turismo não se responsabiliza pelos preços divulgados. Sugerimos confirmar preços com agências e operadoras de viagens, bem como possíveis taxas extras e formas de pagamento.  

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.