Selecionamos roteiros de enoturismo para quem quer aproveitar a viagem e se aprofundar no universo dos vinhos

Da América do Sul à África, em quase todos os cantos do mundo há opções interessantes de passeios para os apreciadores de vinho. Entre os destinos de enoturismo mais procurados pelos brasileiros estão Mendoza , na Argentina, e os arredores de Santiago , no Chile, por conta da proximidade e do custo menor. França, Portugal, Itália e Espanha também são bem cotados, segundo agências especializadas neste tipo de roteiro.


- Não deixe de ler: Viaje pelo mundo dos vinhos


Na América do Sul, a melhor época para conhecer os vinhedos é fevereiro e março, os meses da colheita. Na Europa , o período que oferece as mais belas paisagens é entre setembro e outubro.

Despontam, ainda, como bom destino para o enoturismo algumas localidades da África do Sul , como Stellenbosch. No Brasil, o lugar com melhor infraestrutura para receber os amantes do vinho é a Serra Gaúcha.

Conheça famosas rotas de vinhos em 11 países.

Mendoza, Argentina

Mendoza é um destino bastante procurado por casais
Getty Images
Mendoza é um destino bastante procurado por casais
Com clima seco e terras de boa qualidade, Mendoza, no meio da Cordilheira dos Andes, produz 70% dos vinhos argentinos. A região tem cerca de 1.200 adegas, como a Terrazas de los Andes , a fábrica Chandon e a Finca Flichman , onde é possível degustar bons rótulos e até mesmo fazer uma visita guiada aos vinhedos, percorrendo os chamados “Caminhos do Vinho”. Mais informações no site .

Valle de Colchagua, Chile

A 130 quilômetros de Santiago, o Valle de Colchagua é o maior produtor de vinhos finos do Chile. A visita pode começar na cidade de Santa Cruz, de onde partem os passeios para as principais vinícolas da região, entre elas a Viña Lapostolle. No local, os turistas também podem conhecer o Museu de Colchagua, dedicado à bebida, e embarcar no Trem do Vinho, uma locomotiva a vapor que passa por diversos vinhedos. Mais informações no site .

Serra Gaúcha, Brasil

No Sul do Brasil, a Serra Gaúcha tem como destaque o Vale dos Vinhedos, onde é possível conhecer vinícolas, fazer cursos sobre a bebida e passear por construções do período da colonização. Em Gramado, as vinícolas Chandon , Salton e Miolo são alguns dos principais pontos de parada. Com muitas bodegas em toda a região, vale também uma visita às cidades de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Garibaldi e Farroupilha, para uma degustação. Mais informações no site .

Champanhe, França

Estradinhas levam a belos vinhedos de produtores espalhados pelos mais de 60 vilarejos
Getty Images
Estradinhas levam a belos vinhedos de produtores espalhados pelos mais de 60 vilarejos
A apenas 45 minutos de Paris, Reims é uma das cidades mais visitadas da região de Champanhe, que concentra cerca de 5 mil fabricantes da bebida – entre elas marcas mundialmente conhecidas, como Perrier-Jouët, Dom Pérignon, Veuve Clicquot e Moët & Chandon. Junto com Épernay, o local abriga a maioria das caves de champanhe. No entanto, vale a pena circular pelas estradinhas margeadas por vinhedos para conhecer os produtores espalhados nos mais de 60 vilarejos da região.

Porto, Portugal

Nos vinhedos às margens do rio Douro nasce grande parte das uvas para a produção do famoso vinho do Porto. No local, os turistas encontram desde pequenos produtores até grandes vinícolas, onde é possível até mesmo participar da colheita. No entorno, museus, enotecas e construções históricas dão um charme especial ao destino. Quem tiver tempo e orçamento, pode estender a viagem para o Norte do país, na região produtora do vinho Verde, com paradas nas cidades de Braga e Guimarães, que são bastante tradicionais na produção da bebida. Mais informações no site .

La Rioja, Espanha

A região de La Rioja, no Norte da Espanha, conta com mais de 500 adegas, um verdadeiro paraíso para os apreciadores da bebida. Na cidade de Haro, acontece o famoso festival “Batalla del Vino”, quando no dia 29 de junho uma multidão vestida de branco se reúne para uma “guerra” de vinho tinto disparado por pistolas de água. Mais informações no site .

Toscana, Itália

A Toscana é uma das regiões mais procuradas pelos enoturistas
Getty Images
A Toscana é uma das regiões mais procuradas pelos enoturistas
Com clima e terras bastante propícios para o plantio da uva, a região da Toscana, no centro da Itália, produz vinhos de máxima qualidade, a exemplo de sangiovese, canaiolo, malvasia e trebbiano. É ali que se fabrica o prestigiado Brunello de Montalcino, um dos tintos mais celebrados do país, produzido desde meados do século XVIII com a uva sangiovese grosso. Com mais de 7 mil vinhedos, o turista pode percorrer desde a região da cidade de Livorno até a divisa com Lazio, além das colinas entre as províncias de Florença e Siena. Mais informações no site .

Napa Valley, Estados Unidos

Localizado na Califórnia, a 50 minutos de São Francisco, o Vale do Napa tem 150 vinícolas que cultivam de mais de cem tipos de uva, como por exemplo a cabernet sauvignon, chardonnay, merlot e pinot noir. No roteiro, a passagem pelas cidades de American Canyon, Calistoga, Santa Helena, City of Napa e Yountville são obrigatórias para os bons apreciadores de vinho. Entre as vinícolas a serem visitadas está a Robert Mondavi , um dos maiores desenvolvedores da vinicultura no Norte do Estado da Califórnia. Mais informações no site .

Marlborough, Nova Zelândia

Com 160 vinícolas, Marlborough é a capital do vinho da Nova Zelândia. A viticultura na região, que fica na Ilha Sul, começou no início dos anos 1980. Foi com o vinho Sauvignon Blanc que Marlborough foi reconhecida mundialmente pela qualidade de produção. Em terras ensolaradas e secas, são cultivadas uvas pinot noir, chardonnay, riesling, pinot gris e gewurztraminer. Os passeios pelas adegas – cerca de 40 delas mantêm as portas abertas o ano todo – podem ser feitos de carro ou de bicicleta. Mais informações no site .

Hunter Valley, Austrália

Conhecido como o “País do Vinho”, Hunter Valley fica a apenas duas horas de Sydney, na Austrália. Entre as atrações mais apreciadas pelos amantes da bebida estão os centenários campos de uvas semillon. Ao todo, são mais de 80 vinícolas na região, onde se pode conhecer os métodos de cultivo da uva, o processo de produção e, é claro, degustar alguns rótulos. Além das visitas aos fabricantes, a arquitetura histórica e os museus do local também merecem visita. Mais informações no site .

Stellenbosch, África do Sul

Com mais de 200 produtores, a Rota do Vinho da cidade de Stellenbosch, na África do Sul, tem sido roteiro frequente entre os enólogos e apreciadores da bebida. A cerca de 50 quilômetros da Cidade do Cabo, o local tem clima bastante favorável ao plantio de uvas, com forte calor de dia e baixas temperaturas à noite. As vinícolas Villiera , Neethlingshof e Hartenberg são bons lugares para saber mais sobre o processo de fabricação e conhecer mais a fundo o cultivo da uva. Mais informações no site .

Veja imagens das principais vinícolas do mundo:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.