Veja o que é importante saber antes de ir para a cidade turca, cenário da nova novela da Globo, "Salve Jorge"

A cidade tem um trânsito enlouquecedor

Difícil de acreditar, mas é verdade. E, como não dá para contar muito com o transporte público, que funciona basicamente na parte central, programe-se para passar algum tempo dentro dos táxis. A boa notícia é que isso não vai derrubar o seu orçamento - o preço das corridas costuma ser bem razoável.

Mais:
- Conheça os passeios imperdíveis em Istambul 

Cuidado com os taxistas
Não há o que temer em relação à violência, mas sempre, sempre combine o preço da corrida antes de entrar em um táxi em Istambul. Se achar o preço pedido exorbitante, arrisque pedir outro. A melhor dica: procure o hotel mais próximo e peça ajuda ao staff que fica na porta. Eles costumam, inclusive, ajudar na negociação.

Fora dos hotéis, a maioria das pessoas não fala inglês (ou qualquer outra língua estrangeira)
Mímica, mapas, malabarismos. Se prepare: o turco é definitivamente a língua oficial e única de Istambul. Mas dificilmente alguém vai perder a paciência com você por lá. Mesmo sem falar inglês, muita gente se mobiliza para apontar a direção do lugar que você procura. Basta o nome do museu, da mesquita, do bairro ou do restaurante. Muitos turcos parecem ter até certa curiosidade em relação aos ocidentais e adoram puxar uma “conversa”.

As mulheres não são obrigadas a usar hijab (ou cobrir a cabeça com véu)
A Turquia é um Estado laico e, apesar de 99% da população ser muçulmana, ninguém é obrigado a parar durante o dia para rezar, por exemplo. Uma curiosidade: este é o primeiro governo islâmico desde Ataturk, o fundador da Turquia moderna.

Mais:
- 18 dicas para evitar que sua mala desapareça no aeroporto 

Fique atento aos chamados dos Muezins
Em Istambul há uma mesquita em cada esquina. Andando pela cidade, você vai avistá-las por toda parte, de tamanhos e formas diferentes. Por isso, não vai ser difícil escutar o chamado com aquele tom de lamento dos Muezins. São cinco por dia, do nascer ao por-do-sol, convocando os muçulmanos a rezar. No meio da loucura dos mercados ou da praça Taksim, por exemplo, nada mais inspirador - e certamente melancólico - para entrar no clima da cidade.

Para entrar nas mesquitas, cuidado com o figurino
Apesar da convivência social totalmente pacífica entre mulçumanos e ocidentais, a coisa muda um pouco dentro das mesquitas. Mesmo para visitá-las, você deverá tirar os sapatos e, no caso das mulheres, usar calça comprida. Detalhe: não pode ser justa, como leggings. Mas ninguém é barrado. Um pano azul é gentilmente cedido para as moças que mostrarem “algo a mais”. Muitas podem pedir para a cabeça ser coberta também.

Pechinche sempre!
Pode ter certeza: basta pedir uma vez e o preço de qualquer coisa que você estiver comprando vai baixar. Principalmente nos bazares de Istambul. O problema é se livrar dos vendedores depois, que podem te perseguir pelos corredores do Gran Bazar para não perder o negócio. Seja firme e aperte o passo.

Acompanhe as novidades do iG Turismo também pelo Twitter .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.