Sem nome oficial, recanto é um prêmio para ciclistas que pedalam até a cidade de Paraty

Estadão Conteúdo

Distante 12 quilômetros do centro em direção ao norte, cercada de verde e escondida entre as curvas da rodovia Rio-Santos (BR-101) está um dos troféus aos ciclistas que pedalaram até Paraty: uma praia tão pouco conhecida que nem nome oficial tem.

Mas pista para encontrar o local, sim, esta existe: basta seguir as indicações para a Toca do Pastel, de onde se tem a bela vista da foto ao lado. O passeio foi feito com as baterias recarregadas, no dia seguinte ao da chegada a Paraty.

Mais: Estrada Real entre Cunha e Paraty é um desafio para os ciclistas

Praia fica a apenas 12 quilômetros do centro de Paraty
Getty Images
Praia fica a apenas 12 quilômetros do centro de Paraty

A manhã ensolarada, mas sem calor escaldante, animou os ciclistas que saíram da cidade pela bem cuidada ciclovia. Em 45 minutos, chega-se a barraca onde são vendidos água de coco (R$ 3) e um generoso pastel de siri (R$ 5). Ali pinta a dúvida: continuar fotografando a paisagem deslumbrante enquanto a luz e a posição do sol são favoráveis ou ceder à tentação de seguir imediatamente para o mar? Tanto faz a escolha: depois da descida a pé pela trilha que não leva mais de 5 minutos para ser vencida, as palavras problema, dor e cansaço parecem deixar de existir.

As águas calmas dão a impressão de terem sido especialmente preparadas para aquele mergulho revigorante. Curiosamente, o fundo do mar por ali não é de areia, mas de uma mistura de lama que deixa a água mais escura - mas não menos refrescante. Para os mais destemidos, na maré baixa é possível caminhar pelas pedras até duas praias próximas. Após subir a trilha de volta até a barraca de pastel, tome uma ducha de água doce e se prepare para pedalar de novo. E a volta pode ser ainda melhor, acredite.

Trechos cercados de natureza e urbanos fazem a máquina fotográfica trabalhar sem descanso - tanto que, ao tentar fotografar e pedalar pela ciclovia de Paraty simultaneamente, este repórter levou seu único tombo em toda a aventura. Em tempo, a câmera foi salva.

Leia também:
- Viagem de bicicleta requer equipamente (e fôlego) em dia
- Paraty tem história e natureza

Acompanhe as novidades do iG Turismo pelo Twitter 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.